Número de queimadas quase triplica na região de Presidente Prudente
Número de queimadas quase triplica na região de Presidente Prudente

 

Neste mês, a Secretaria de Estado do Meio Ambiente lançou a Operação Corta Fogo 2018, que visa prevenir incêndios em rodovias, parques e áreas de proteção ambiental. Até setembro, serão desenvolvidas ações em diversas cidades, com o intuito de conscientizar os munícipes a respeito da prevenção de queimadas em trechos urbanos e rurais. 
Conforme dados obtidos pelo site de monitoramento do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), de janeiro a maio deste ano, a 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo registrou 734 focos de queimadas, sendo que, no mesmo período do ano passado, o número foi menor, de 278 focos registrados – ou seja, os casos quase triplicaram.
Conforme explica o capitão Alex Brito de Moura, do 14º Grupamento do Corpo de Bombeiros em Presidente Prudente, o fator que poder ter influenciado neste aumento na quantidade de queimadas é a baixa umidade relativa do ar. Além disso, segundo ele, devido ao balanço ter sido efetuado com informações via-satélite, nem todos os pontos são detectados, e, desta forma, o número pode ser diferente.
Mesmo diante deste cenário, durante os quatro meses em que a conscientização na Operação Corta Fogo é reforçada, a guarnição continua a desenvolver apoio para combater as queimadas nas vegetações da região, no entanto, com mais precisão. “Realizamos uma atividade de serviço, que direciona os bombeiros que estão de folga para prestarem auxílio à Operação Corta Fogo”, expõe. Além deste direcionamento, o capitão acrescenta que são realizadas palestras de conscientização aos profissionais, para que fiquem atentos ao perigo das queimadas em vegetações, “principalmente próximas às rodovias, que são encontradas com frequência”, explica.
Para auxiliar os bombeiros durante ocorrências de queimadas, o capitão ressalta que na região existe um trabalho denominado plano de auxílio mútuo para emergência, em que usinas de álcool, localizadas em zonas rurais, prestam apoio ao combate de incêndio em vegetação “com dezenas de caminhões-tanques espalhados em pontos estratégicos”.  Desta forma, afirma que o trabalho inicial para apagar incêndios, antes da chegada dos bombeiros, “é essencial e contribui também para o trabalho preventivo para combater queimadas”.
Apesar da preparação para estas situações, o capitão acrescenta que o apoio da população é importante para que a quantidade de incêndios em rodovias, parques e áreas de proteção ambiental seja reduzida. Com isso, alerta sobre os riscos que pequenas atitudes do cotidiano, como jogar cigarro em área verde, podem ser prejudiciais ao ambiente e causar transtornos maiores. (Com O Imparcial)
 

Compartilhar Google+


Comentário(s)

Publicidade









 

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1