Após carta, FHC fala em ‘quebra de confiança’ nos políticos
Após carta, FHC fala em ‘quebra de confiança’ nos políticos


Após divulgar uma carta em que pede o equilíbrio nas próximas eleições presidenciais no Brasil, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou nesta sexta-feira, 21, que a atual crise pela qual passa o Brasil, fragmentado politicamente, é em função da quebra de confiança da população nos governantes.
“Tomara que fosse como no futebol, em que após uma Copa perdida, já pensamos na próxima com esperança de vencer. Na política há a necessidade de convencer o outro e isso não depende só de você. A maior parte da sociedade não quer escutar. Falta confiança, houve uma quebra de confiança nos homens que comandam o país.”
Para ele, que participou de evento de uma corretora em São Paulo, ao lado do ex-presidente americano Bill Clinton, o próximo presidente terá a missão de ganhar essa confiança e, para tanto, necessitará passar as informações sobre as atitudes a serem tomadas, de forma transparente.
Como exemplo ele  citou seu papel como Ministro da Fazenda na época em que o Plano Real foi implementado, entre 1993 e 1994, quando enfim conseguiu acabar com a inflação no Brasil.
“Era um momento parecido com o atual, as finanças públicas estavam desorganizadas, era necessário mexer no orçamento, mas ganhar a confiança por meio da consciência da população. Minha principal função foi explicar, não sou economista.”
O ex-presidente ressalta que há um mal-estar generalizado, não só no Brasil, em função de mudanças na sociedade global.
“As pessoas se sentem um pouco perdidas nessa nova sociedade, fragmentada, com mais mobilidade, se criam mais empregos, no Brasil, além disso, houve escândalo de corrupção, o conjunto foi minado pela desmoralização com a Lava Jato.”
Ele observou ainda que o país precisa superar esse momento de polarização, que está limitando as perspectivas da população.
“Só vi essa raiva no Brasil de uns contra os outros há décadas. O que se faz? Tem de empregar os valores nos quais acreditamos, o básico é isso, se você acha que a democracia é importante, que a liberdade também e que precisa haver um sistema em que o povo é representado, é o caminho. Isso que vem ocorrendo limita nossos sonhos, mas não impede de sonharmos.”

Compartilhar Google+


Comentário(s)

Publicidade









 

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1