Palestra com Telma Costa abordará suicídio nesta sexta-feira em Presidente Venceslau
Palestra com Telma Costa abordará suicídio nesta sexta-feira em Presidente Venceslau

A instrumentista, dubladora e escritora Telma Costa estará nesta sexta-feira, das 8h30 às 10h30, no anfiteatro municipal “Nelson Reis Oberlaender”, em Presidente Venceslau, onde ministrará a palestra “Frustração, rejeição e escolhas – Como lidar com elas sem perder a esperança?”.
A atividade é a uma iniciativa da SEMEC (Secretaria Municipal de Educação e Cultura) e tem como público alvo alunos do ensino fundamental e médio.
A palestra traz como tema central o suicídio. “Falar sobre suicídio significa quebrar um tabu. Convivemos com a ideia – parcialmente correta – de que falar disso põe em risco pessoas fragilizadas, que têm considerado essa saída. Por outro lado, o silêncio não tem impedido que ele aconteça. As estatísticas do Sistema Único de Saúde (SUS) mostram que os casos subiram 12% em cinco anos no Brasil. Entre os adolescentes de 10 a 19 anos, o aumento foi de 18%. Nessa idade, eles estão enfrentando as primeiras frustrações. Se o pior acontece, o ambiente escolar sofre. E com círculos familiares e sociais cada vez menores, a escola é praticamente o único lugar de socialização dos jovens. Por isso, coragem: entender esse fenômeno e como ele afeta os adolescentes pode prevenir mortes e provocar discussões saudáveis”, destaca a organização da palestra.
Em virtude disso, a SEMEC considera que o tema é de suma relevância para ser debatido entre estudantes das escolas públicas e privadas do município. 
“O suicídio é também uma questão de saúde pública. Não deve ser simplificado ou atribuído a uma única causa, pois trata-se do desfecho de uma série de fatores complexos que se acumularam na história daquela pessoa. Antes de tudo, é preciso buscar informação”, ressalta.
Segundo informações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano são registrados mais de 800 mil suicídios no mundo, o que representa aproximadamente uma morte a cada 40 segundos. Além disso, a cada três segundos alguém atenta contra a própria vida. No Brasil, são mais de 11 mil casos anualmente, e muitas dúvidas surgem quando nos vemos na necessidade de ajudar uma pessoa que está pensando em suicídio.
Na palestra, Telma vai propor aos adolescentes uma reflexão sobre “Frustração, rejeição e escolhas – Como lidar com elas sem perder a esperança?”.
Telma é dubladora da personagem Betty no filme  “Toy Story 4”, grande sucesso de bilheteria em todo mundo e que trata de questões relativas ao comportamento. 
No filme, Woody é um boneco que é líder dos outros brinquedos de sua dona, a menina Bonny, uma garota de mais ou menos cinco anos de idade, que já não se interessa em brincar com ele. Ele ama sua dona e os seus amigos. Bonny vive seu primeiro grande trauma ao ter que ir pela primeira vez à escola e separar-se de seus amigos/brinquedos. Para ajudá-la nesse momento difícil Woody, sem que ela saiba, a leva a fazer o seu próprio brinquedo a partir de um garfinho de plástico. Em uma viagem Garfinho se perde e Woody, na tentativa de resgatá-lo e trazê-lo de volta à dona, encontra uma antiga amiga, a bonequinha de porcelana Betty. Juntos vivem uma grande aventura e no final ele tem uma difícil escolha: voltar para a casa com os seus amigos e sua dona, ou ir ao encontro de sua missão, ajudando outros brinquedos e crianças a encontrarem o amor recíproco.
Muitas crianças e adolescentes que têm assistido a esse filme saem frustradas do cinema porque não sabem lidar com a rejeição e com as escolhas. Isso é um sinal vermelho para que tanto os responsáveis quanto os professores fiquem atentos às questões que precisam ser trabalhadas nessa faixa etária, quando os valores pessoais estão sendo moldados e construídos. 
É com esse objetivo que Telma da Costa se dispõe a falar na palestra, que será seguida de debates. Sua experiência de mais de três décadas no ensino a crianças e adolescentes no Brasil, Bolívia, Peru, Inglaterra e Estados Unidos, e o seu profundo interesse e respeito pelo universo desses jovens a impulsiona a abrir esse debate e dar voz aos anseios dessa galerinha que vive conflitos profundos e silenciosos.
 

Compartilhar Google+


Comentário(s)

Publicidade










 

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1