PS da Sta Casa de PV orienta suspeito de dengue a procurar atendimento nos postos de saúde
PS da Sta Casa de PV orienta suspeito de dengue a procurar atendimento nos postos de saúde


Nesta terça-feira, 07, a administração do Pronto Socorro da Santa Casa de Presidente Venceslau emitiu nota de esclarecimento sobre a procura de atendimento por pacientes suspeitos de contrair dengue.
Conforme a nota, a Santa Casa destaca que organizou um fluxograma de atendimento aos pacientes com suspeita da doença. A orientação é procurar o primeiro atendimento nas ESFs (Estratégias de Saúde da Família) do bairro onde reside ou no Posto Central (UBS), com acompanhamento da Vigilância Epidemiológica para as demais providências.
A Santa Casa acredita que, como esse controle da vigilância, será possível notificar os casos existentes e agilizar o bloqueio nos bairros para evitar epidemia da doença.
No caso de pacientes com dengue, a Santa Casa orienta o paciente para fazer a hidratação oral com muito líquido, repouso absoluto e não ficar se auto medicando, sendo importante a orientação médica para avaliar a necessidade do soroterapia  intravenoso.  
Na nota, a administradora da Santa Casa, Suzi Bonifácio destaca que o hospital atenderá a todos os pacientes que necessitarem. O protocolo acima será aplicado apenas em caso de suspeita de dengue.
Os pacientes que estiverem com os sintomas da dengue nos finais de semana e fora do horário de expediente municipal também poderão procurar o Pronto Socorro, porém a orientação é para que no dia seguinte recorra à ESF de referência. 
A Santa Casa informa ainda que o atendimento do Pronto Socorro é adequado para casos de urgência e emergência. “Porém, a procura pela conveniência e quase exclusivamente para solução de problemas simples, como o pedido de receitas ou exames e afecções de baixa complexidade e o uso inadequado dos serviços, tem impacto direto na experiência e qualidade do atendimento prestado”, diz a nota. “O tempo de espera, por exemplo, é a principal reclamação dos pacientes ao usar o Pronto Socorro. Além disso, o excesso de pacientes pode levar a uma rapidez excessiva do atendimento, provocando queda da qualidade e agilidade”, prossegue a nota. 
“É importante ressaltar a todos que a prioridade não será definida pela ordem de chegada ou presença de grupos específicos, como idosos, gestantes ou crianças. A prioridade é atendida pela gravidade dos sintomas apresentados por cada paciente. Esses sintomas são identificados em sua chegada à unidade por meio de uma triagem realizada por enfermeiras treinadas nesta função”, ressalta Suzi Bonifácio.

Compartilhar Google+


Comentário(s)

1