Taxa de mortalidade em Pres. Venceslau atinge 7,53 para cada mil habitantes
Taxa de mortalidade em Pres. Venceslau atinge 7,53 para cada mil habitantes

Municípios da 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo, com sede em Presidente Prudente, estão entre as cidades com as menores taxas de mortalidade geral do Estado, por mil habitantes, conforme dados divulgados neste mês pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados). 
O município de Presidente Venceslau apresentou taxa de 7,53 para cada mil habitantes. Em Marabá Paulista, a taxa de mortalidade geral atingiu índice de 5,5, considerado baixo.
Os números divulgados pelo Seade mostram que a taxa estadual ficou em 6,8 óbitos por mil habitantes no ano de 2018 – dados mais recentes –, sendo que 12 cidades da região apresentaram taxas inferiores a isso, chegando, por exemplo, a 4,7, como é o caso de Tarabai. Por outro lado, há cidades que chegaram a 11,42 óbitos por mil habitantes na região.  
Mesmo com algumas cidades entre aquelas com as menores taxas, se analisada apenas a Região Administrativa de Presidente Prudente, o cenário é outro, já que de 16 regiões do Estado, o oeste paulista tem a quinta maior taxa, com a média de 7,84 mortes por mil habitantes. Em nível de comparação, a maior média por região foi a de Araçatuba, com 8,02, e a menor encontrada na Região Metropolitana de São Paulo, com 6,34 óbitos por mil habitantes.
Na 10ª Região Administrativa, as maiores taxas foram atribuídas aos seguintes municípios: Nova Guataporanga (11,42), Santa Mercedes (10,66) e Emilianópolis (10,45). Por outro lado, outros municípios se destacam pelas baixas taxas, como é o caso de Pracinha (4,83), Tarabai (4,77) e Mirante do Paranapanema com 4,71, menor taxa.
 

Compartilhar Google+


Comentário(s)

1