CNBB lança campanha da fraternidade 2020 com tema ‘Fraternidade e Vida’
CNBB lança campanha da fraternidade 2020 com tema ‘Fraternidade e Vida’

 

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) lançou, nesta quarta-feira (26), a campanha da fraternidade de 2020, com o tema “Fraternidade e Vida: dom e compromisso”. No ano passado, o foco foram as políticas públicas.
A cerimônia de abertura foi realizada na sede da CNBB, no Setor de Embaixadas Sul. Santa Dulce dos Pobres e o Papa Francisco são apresentados como exemplos de bons samaritanos – referência a uma parábola da Bíblia.
Segundo o texto-base da campanha, o objetivo é “conscientizar, à luz da palavra de Deus, para o sentido da vida como dom e compromisso”. Já com o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” – extraído de um versículo bíblico – a campanha quer incentivar as “relações de mútuo cuidado entre as pessoas, na família, na comunidade, na sociedade e no planeta”.
Criada em 1962, a campanha da fraternidade é apresentada todo ano na quarta-feira de cinzas, quando tem início a Quaresma, período de 40 dias que antecede a Páscoa.
Homenagem
Irmã Dulce, canonizada no dia 13 de outubro do ano passado, é homenageada na Campanha da Fraternidade de 2020 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Ela é a primeira mulher nascida no Brasil a se tornar santa.
No centro do cartaz de divulgação da campanha da fraternidade, a santa brasileira aparece junto com crianças e idosos, nas ruas do centro histórico de Salvador - foto.
Contra a indiferença
A anunciar o tema da campanha da fraternidade deste ano, o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Joel Portella Amado, explicou que o principal objetivo é “proteger a vida”. Citando números de violência no país, destacou o “cuidado” como a principal ação.
“O remédio para a indiferença e a morte é o cuidado”, disse Dom Joel Portella.
Questionado sobre quais são as ações concretas que a igreja recomenda aos cristãos, Portella afirmou que há “diversos níveis de ação”
“A primeira [ação] começa em cada um: o que eu posso fazer para me tornar um cuidador? Até dentro de casa, até cuidar de si para poder cuidar dos outros. Já nível de sociedade, com ações de natureza política e ecológica”, afirmou.
A campanha da fraternidade se encerra no Domingo de Ramos, que antecede o domingo da Páscoa. Na ocasião, igreja recolhe arrecadação dos fiéis. O valor é encaminhado ao Fundo Nacional de Solidariedade, que destina 60% dos recursos na diocese de origem e 40% a projetos sociais da comunidade.
Em 2019, o valor que custeou ações sociais foi de cerca de R$ 3 milhões, segundo a CNBB.

Compartilhar Google+


Comentário(s)

1