Pandemia e pandemônio juntos
Pandemia e pandemônio juntos

Deus, em sua infinita bondade, nos deixa a vontade para descrever os sentimentos e expressá-los, mesmo que, às vezes, tragam pequenas contrariedades, ao externar pensamentos desnecessários e que talvez fossem melhor que permanecessem dentro de cada um.
Há um ditado popular, sábio e irônico - “Burro calado, se passa por sábio”.
Mas, a inquietude e ansiedade vencem, e vamos ao assunto.
Está provado que Deus é brasileiro, pelas benesses da terra que habitamos e da solidariedade e bondade de nossa nação.
Entretanto, os tempos atuais são de pandemia, pandemônio e outros adjetivos pejorativos a atingir o nosso povo, que está sofrendo e muito.
Vamos, somente a título de ilustração, excluir a pandemia do Covid-19, que tanta dor e sofrimento tem causado ao mundo todo ao matar milhares de humanos.
Especificamente, no Brasil, estamos em um pandemônio nos setores da Saúde, da Educação, da Economia e das relações sociais.
Enfim, existem governos e poderes constituídos que não governam e parecem se esquecer de propósito das missões para que foram escolhidos.
O governo federal, agora acometido do vírus, neste um ano e meio que assumiu, dá a impressão, pelos menos a distância, que não se preparou para o desenvolvimento e tão somente para a polêmica e noticiário na mídia.
Todos os dias, o principal astro das redes sociais e da mídia produz e lança um fato novo e polêmico, mais para o inusitado do que normal, em que ocupa ao final da noite os noticiários.
As TVs, que efetuam demissões em massa, estão certas, pois tem um astro trapalhão e dramalhão, que lhes garante audiência, gratuitamente, em troca de troca de desmentidos e “fake-news” - noticias falsas que atingem e destroem reputações.
Não existe ator melhor para desempenhar tais funções, pelo cargo que ocupa, pelas paixões, pró e contra, que desperta, seguida por governadores empolados e que tentam fazer os “bons mocinhos” da história.
Sem falar nas outras trapalhadas, o povo está cada vez mais sofrido, passando necessidades e até fome, por ter bancos fechados, dinheiro prometido e não dado, e até a impossibilitado de ter uma vida difícil mas que as necessidades básicas são supridas.
Se o vírus trouxe a pandemia, os governos de todas as esferas criaram o pandemônio que desgraça a vida de todos nós, independente da classe social.   
(*) O autor é jornalista, produtor rural e colaborador do Tribuna Livre      

Compartilhar Google+


Comentário(s)

1