Renan afirma que Wajngarten pode ser preso por mentir na CPI
Renan afirma que Wajngarten pode ser preso por mentir na CPI

O relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou que vai pedir a prisão do ex-secretário de Comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, se ele estiver mentindo no depoimento prestado ao colegiado nesta quarta-feira, 12. O colegiado convocou Wajngarten para explicar declarações dadas em entrevista à revista Veja, na qual apontou a “incompetência” do Ministério da Saúde como motivo para atraso na compra de vacinas.
No depoimento, no entanto, o ex-secretário negou que tenha chamado o então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, de “incompetente”. Ele também disse não ter participado das negociações pela vacina da Pfizer. As contradições irritaram o presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM) e o relator, Renan Calheiros.
“Se ele mentiu, terá desprestigiado e mentido ao Congresso Nacional, o que é um péssimo exemplo. Eu queria dizer que vou cobrar a revista Veja. Se ele não mentiu, que ela se retrate a ele. E, se ele mentiu à revista Veja e a esta comissão, eu vou requerer a Vossa Excelência na forma da legislação processual a prisão do depoente, apenas para dizer isso e para não dizerem que nós não estamos tratando a coisa com a seriedade que essa investigação requer”, disse Renan.
À Veja, Wajngarten disse ter provas de que a culpa pelo atraso na aquisição de vacinas contra a covid-19 da Pfizer foi do Ministério da Saúde. O depoimento é um dos mais aguardados pelos senadores, que esperam que ele apresente documentos e registros que comprovem a alegada responsabilidade da pasta.
Wajngarten afirmou, em entrevista à revista Veja publicada em 23 de abril, que o Ministério da Saúde agiu com “incompetência” e “ineficiência” durante as tratativas com a farmacêutica, que ofereceu 70 milhões de doses ao governo no ano passado. Segundo o ex-secretário, a Pfizer enviou uma carta ao ministério com a proposta, mas não recebeu resposta. Por isso, ele teria assumido a frente na negociação, com o aval do presidente Jair Bolsonaro.
O ex-secretário também deixa claro, na entrevista, que tem provas que confirmam que o Ministério da Saúde seria responsável pelo atraso das vacinas, como e-mails, registros telefônicos e cópias de minutas do contrato, além de testemunhas. Esse foi o motivo para que o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) apresentasse o requerimento para convocação de Wajngarten, aprovado em 5 de maio. A CPI quer acesso a esses documentos.
 



Comentário(s)

1