Estado de SP assina parceria para produção de próteses ortopédicas inovadoras
Estado de SP assina parceria para produção de próteses ortopédicas inovadoras

O governador Geraldo Alckmin assinou ontem um projeto inovador para a produção de próteses ortopédicas de ligas Nb-Ti (nióbio-titânio) e Ti-Nb-Zr (titânio-nióbio-zircônio). O novo método será feito por fusão seletiva a laser, que permitirá a confecção de materiais sob medida e mais próxima à consistência do osso humano. Esse procedimento é um processo de manufatura aditiva no qual os mais diversos materiais podem ser aplicados camada por camada (na ordem de micrômetros) para a fabricação de uma peça sem a existência de um molde ou ferramenta.

“É um passo importante em termos de ciência. Possibilitará termos o que há de mais moderno em próteses, por impressão 3D, com nióbio, totalmente customizadas para cada pessoa, com melhor resultado para o paciente”, disse Alckmin.

As próteses geralmente são fabricadas por meio de processos como usinagem, fundição e forjamento, entre outros, e com o novo método, a partir de exames, como tomografia ou ressonância magnética do paciente, será criado um desenho tridimensional da peça que será implantada exatamente nas dimensões requeridas para se encaixar no corpo, sem a necessidade de fazer qualquer alteração, ou seja, feita sob medida para cada paciente.

O projeto terá um investimento de R$ 7,8 milhões, o maior do país em termos de valores na área de produção de próteses metálicas por manufatura aditiva e, com duração de 42 meses. Duas características inovadoras marcam o projeto. O emprego do processo de manufatura aditiva aplicado a ligas metálicas especiais e a reunião da Embrapii e da Fapesp como cofinanciadoras.

A iniciativa conta com o apoio da Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), da Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e do Laboratório de Processos Metalúrgicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), órgão vinculado a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação de São Paulo.

O foco do trabalho da equipe do IPT será a produção dos materiais, essas ligas e os pós das ligas, que serão usados para a construção de próteses de quadril (no caso do projeto, as placas angulares de fêmur) no Instituto em Sistemas de Manufatura e Laser do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), em Joinville (SC).

Leia mais na edição impressa.

 

Compartilhar Google+


Comentário(s)

1