Ministro da Saúde defende melhoria nas consultas básicas e uso da telemedicina
Ministro da Saúde defende melhoria nas consultas básicas e uso da telemedicina

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, disse ontem que nem todos os encaminhamentos médicos feitos no Brasil para especialistas são necessários e que é preciso melhorar as consultas básicas. Para ele, o uso da telemedicina poderia dar maior precisão aos diagnósticos como, por exemplo, em relação ao câncer, selecionando os casos em que os pacientes vão precisar passar por um oncologista.

“O Brasil referencia 35% das consultas para especialidades e a média mundial é de apenas 20%”, disse o ministro, após participar da abertura de um encontro sobre o atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS), promovido pelo jornal O Estado de São Paulo.

Em sua palestra, Barros informou que, nos últimos cinco anos, houve um aumento de 68% nos casos de câncer no país com registro de 600 mil diagnósticos. Salientou que esta área da medicina tem sido um desafio, envolvendo investimentos de R$ 3,5 bilhões. Segundo o ministro, o país tem investido em unidades de tratamento de câncer e, assim, ele espera ser “suficiente para que a população tenha o acesso adequado a essa especialidade”.

O ministro da Saúde também manifestou a expectativa de que, dentro de aproximadamente seis meses, o Brasil possa estar cumprindo, integralmente, o prazo legal de 60 dias entre o diagnóstico e o início do tratamento de pacientes com câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS) .

Leia mais na edição impressa.

 

Compartilhar Google+


Comentário(s)

1