Faive – um marco inicial de campeões da raça nelore

A pequena e singela pista de julgamento de animais da Faive, desde 1.977, foi o piso de grama, onde desfilaram grandes animais da raça nelore, que se transformaram em Grandes Campeões Nacionais.
É uma historia bonita e comovente da qual tive o prazer de viver ao lado de grandes amigos, como José Dancs Jacinto, o Zé Gordo, Valdeci Marin,  Antonio Carlos de Souza, Gilmar Milare Garcia, Dr. Ricardo de Andradina  e o atual presidente da ABCZ, Dr. Arnaldo Manoel Borges.
Foram momentos inesquecíveis que com a minha esposa Maria Luiza Scarcelli Moré e filha Luzia Scarcelli Moré, ainda solteira, derramamos lágrimas de alegria e felicidade proporcionadas pelos nossos inesquecíveis animais Nelore.
Naquele local simples e bucólico, como são os espaços de Deus, abençoados pelo vigor da Natureza, o Grande Chodó CM iniciou sua trajetória consagrada de Campeão de Peso até 12 meses, ao cravar 530 quilos na balança  da Central Nova Índia, em Uberaba, supervisionado e homologado pela ABCZ.
Foi na Faive de 1994, que ao se sagrar campeão bezerro, batendo os melhores animais do país, o que confirmou em Presidente Prudente e Uberaba, que o nosso Chodó CM se destacou para o seleto e disputado mundo da raça nelore.
Ali pudemos sentir que a dádiva de Deus é um presente inigualável, porque com apenas 3 anos de criação fomos premiados com um animal excepcional vindo do plantel de dona Olga Ellis, descendente de Taj Mahal, Karvadi, Checurupadu, Nagory, todos POI, importados da Índia, berço do Nelore, a maior raça de gado do Brasil e responsável pela genética revolucionária da carne de corte.
Ashoka, Andaluza, e outros animais da Estancia CM, também conquistaram prêmios na pista de julgamento, sendo o último feito o troféu de Campeão Bezerro - Macho Baby, em 2010, quando fomos diagnosticados com câncer e paramos a participação em pistas.
Lembro, envaidecido, que, como presidente da comissão de captação de gado de corte com a Nancy Geraldo e Zé Gordo, trouxemos mais de 300 animais para julgamento Nelore Padrão e  Mocho, a maior exposição em número de animais do Estado de São Paulo.
Tempos áureos, de muita luta e amor em 25 anos de Faive - sem ganhos e muitos gastos pessoais.
Da pista da Faive, saíram animais que se tornaram grandes campeões nacionais em Uberaba, como Rapilho da Santa Isabel, e a consagrada Criança da Dourada, do Chiquinho Azenha, que fez história pelo Brasil.
O Chiquinho e a Michelle fizeram uma homenagem simples e simbólica, ao dizer, em uma noite de leilão, que “estamos no Nelore por causa de você”. 
Guardo estas palavras com orgulho porque, até agora, se dedicam ao Nelore e, hoje, realizam um dos maiores leilões atuais da região.
Nossos votos de pleno êxito, como também ao Dr. Mencius, pelo leilão realizado e pela dedicação ao Nelore.
São criadores que merecem nosso respeito e admiração, mantendo acesa a chama.
Não posso encerrar este texto sem exaltar Augusto Alves, Olga Ellis, Carlos Viacava, Hiroshi Yoshio no passado, e Chiquinho, Mencius no presente, como grandes nomes do Nelore da Faive.
Estes são fatos que gosto de relembrar com muita saudade e simbolizando o amor pelo Nelore,  pelo recinto Alfredo Ellis Neto, pelo inesquecível  Reinaldo Padovan, Franklin Platzeck, que deram muito de si para que a nossa Faive continue sendo a grande atração turística de Presidente Venceslau, no Oeste Paulista.
Se hoje não posso participar como pecuarista, como jornalista ainda posso relatar o que está gravado dentro de mim e jamais esquecerei, enquanto viver, porque é uma lembrança que gosto de ter.

(*) O autor é jornalista, produtor rural e colaborador do Tribuna Livre


Publicidade










 

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1