No dia 07 de setembro de 1822, às margens do rio Ipiranga, D.Pedro I declarou independência ao Brasil. A pintura do artista Pedro Américo intitulada “Independência ou morte” é considerada a representação mais consagrada de tal acontecimento. Ela mostra D.Pedro I montado em um alazão e rodeado de pessoas, e então levantando sua espada declara Independência do Brasil.
Porém é uma imagem idealizada, a real cena ocorre quando ele voltava da casa de sua amante e faz parada às margens do Ipiranga para defecar, quando chega então um mensageiro entregando-lhe uma carta que dizia ser o ultimato para o Rei voltar a Portugal, mediante a situação é proclamado à Independência com o famoso grito do Ipiranga “Independência ou morte”. Em 1º de dezembro de 1822, D.Pedro I é coroado sendo aclamado o primeiro imperador do Brasil.
Compreendendo os motivos que levaram à Independência, é preciso entender o que ocorreu nos tempos colônias. Um fato que acelerou o processo era a subordinação as Capitanias Hereditárias pela autoridade central do vice-rei, que governava em nome do rei de Portugal. A situação econômica era precária na agricultura, a pecuária estava muito restrita ao Rio Grande do Sul, a mineração estava se esgotando e a indústria não se desenvolvia. E por seguinte, a história brasileira não tomava outro rumo a não ser entra em efeito dominó, entrando em decadência e agravando a situação do país.
Contudo, a independência está diretamente ligada à eventos iniciados em 1808, o ano que a Família Real chegou ao Brasil por estarem fugidos das tropas francesas. A chegada ocasionou uma série de mudanças que contribuíram para a independência.
A primeira medida tomada foi a “Abertura dos Portos às Nações amigas” que permitia o comércio brasileiro com os ingleses.  Existiram outras medidas , em diversas áreas, como educação e cultura. Com isso o Brasil foi se tornando integrante do Reino de Portugal e até passou a ser chamado “Reino Unido a Portugal e Algarves”.
A presença da Família Real no Brasil havia proporcionado grandes avanços, mas ainda assim havia demonstrações de insatisfações, pois houve grande aumento nos impostos o que interferiu diretamente na administração, julgado não ser satisfatória ao povo.
Diante de tantos fatos, a história apresenta que a independência conquistada pelo país deixou o povo relegado, sendo preciso muita luta para melhoria de suas vidas, pois a vontade e o desejo da população não foi levado em consideração. Além disso é considerada uma independência comprada por aconselhamento inglês, Portugal cobrou 200 mil libras esterlinas do Brasil como “troféu” de liberdade, assim criando uma dívida perdurada até hoje.
(*) Alunos do 3º Ano do Ensino Médio da Escola Cooperativa de PV  - Ana Júlia Screpanti, Jade Ribeiro, Letícia Kanwischer Batista e Lívia Ferreira Lima 


Publicidade










 

Siga-nos

Acompanhe o Tribuna Livre nas Redes Sociais!

Notícias Recentes






1