Vivemos o imponderável

A luta pela sobrevivência não é fácil.
Deus, quando premia com a vida, bondosamente procura dar a cada um condições de buscar os meios necessários para a sobrevivência.
Nestes logos anos de vida terrena nunca noticiei a exaltação por pessoas das benesses recebidas do Senhor. Só pedidos a Deus nas dificuldades.
O ser humano está sempre insatisfeito, reclamando, blasfemando, rebelde e a procura de novas formas de viver, sem problemas.
Nunca estive em uma aldeia, mas creio que os próprios índios “incivilizados” reclamam e pedem mais.
Os dias atuais, que o hoje é o futuro, podem trazer para o homem civilizado muitas reflexões.
Por que esta insatisfação permanente, queimando por dentro como fogo, ao invés de ser um bálsamo purificante trazendo felicidade?
Forças espirituais revelam que o imponderável que sofremos é uma forma branda de Deus, mostrar ao homem que precisa mudar seu jeito.
Ao invés de uma guerra com todo potencial bélico e nuclear destrutivo, o senhor nos impõe um vírus desconhecido, seletivo, atacando os mais velhos de preferência, e mostrando aos mais novos a importância do ser humano ante os mistérios da Divindade.
É uma nova ordem que modifica toda a estrutura social, impondo a busca de novas soluções em que a arrogância do ser humano demostra ineficácia do que produziu.
A imponderabilidade, viver sem segurança nem mesmo do presente, mostra que temos uma Ordem Superior que nos rege e que precisamos respeitar sempre.
(*) O autor é jornalista, produtor rural e colaborador do Tribuna Livre


1