top of page
Buscar

Acusado falsamente de estupro, adolescente é morto com requintes de crueldade de MS

Com Cenário MS

Cinco presos em ação conjunta das polícias Civil e Militar - Foto: Divulgação


Um adolescente de 17 anos foi sequestrado e morto com requintes de crueldade no último sábado (13), na cidade de Deodápolis, após ser acusado falsamente de estuprar uma menina de 14 anos. O menor foi atingindo com facadas no tórax e pescoço. Cinco homens, entre eles o pai da suposta vítima do abuso, foram presos.

Segundo apurado, no sábado (13), o pai da menor de idade, Fabiano Alves Capelaxio, de 35 anos, estava em uma conveniência e ouviu o momento em que o adolescente de 17 anos conversava com um tio e afirmava que havia "ficado" com a menina de 14 anos.


Inconformado com o suposto relacionamento e alegando falsamente que a filha havia sido estuprada, o homem se reuniu com mais quatro indivíduos, João Pedro Leôncio de Lima, de 19 anos, Ryan Lucas Teixeira Salustriano, 19, Rafael Kennedy da Silva Alves, 19, e Erik Henrique da Silva Jesus, de 21 anos, foram até a casa do tio da vítima e obrigaram que os levassem até uma área rural próximo à cidade, onde segundo a Polícia Civil, montaram um “tribunal do crime” e executaram a vítima de forma bárbara, matando com várias facadas no coração e cortando seu pescoço.


Dois dos envolvidos alegam que correram no momento em que os autores desferiram as facadas. Três ficaram no local, enquanto um filmava a execução, os outros dois golpeavam a vítima.


Depois, o tio do adolescente foi obrigado a dirigir o veículo e seguir até um bar, onde um dos autores ingeriu bebidas alcoólicas. O tio também foi obrigado a pagar a conta das bebidas, de R$ 120. Na sequência, Fabiano disse que voltariam para ocultar o corpo, momento em que o tio entregou a chave do carro, correu e se escondeu em um matagal


Ao perceber que o terreno estava "limpo", já na manhã deste domingo (14), o tio procurou a delegacia e denunciou o crime. Então, as equipes da Polícia Civil e Polícia Militar saíram em diligências e conseguiram chegar aos cinco envolvido, que foram presos por homicídio qualificado por motivo fútil, por emboscada e recurso que dificulte a defesa do ofendido.


A jovem citada como vítima do suposto estupro foi levada para a delegacia e confirmou que nunca teve relacionamento amoroso com o rapaz assassinado. “Trata-se de um crime bárbaro que comoveu a população do município, mas que teve uma resposta rápida e contundente das forças policiais que retiraram do convívio social indivíduos com alto grau de periculosidade", disse o delegado titular de Deodápolis, Anderson Guedes.


Na noite desta segunda-feira (15), A Justiça de Mato Grosso do Sul determinou que o grupo acusado de matar o adolescente continue atrás das grades.


A prisão preventiva foi decidida pela juíza Natalia Devechi Picoli Antunes, durante audiência de custódia. "(...) a custódia cautelar dos autuados se revela ser não apenas a medida mais adequada para a espécie, mas, sobretudo, a mais necessária, ante a necessidade de resguardo da ordem pública, uma vez que o crime foi praticado, em tese, com violência desmedida, conforme deflui da leitura das peças existentes até então, demonstrando a periculosidade dos autuados"

Comments


bottom of page