top of page
Buscar

Alok lamenta casos de violência e diz que fez o melhor show possível

Atualizado: 29 de ago. de 2023

Evento celebrou centenário do Hotel Copacabana Palace e os 32 anos do artista. DJ chamou atenção para esforço que durou vários meses feito pela equipe que trabalha com ele. - Com G1

Alok se apresenta em Copacabana — Foto: Reprodução/Globoplay

Por meio das redes sociais, o DJ Alok se manifestou sobre os casos de furtos que foram registrados durante a apresentação feita na noite de sábado (26) na Praia de Copacabana, na Zona Sul do Rio. O evento celebrou o centenário do Hotel Copacabana Palace e os 32 anos do artista.


Alok chamou a atenção para os problemas de segurança e pelas quase 500 pessoas conduzidas para as delegacias da região, de acordo com a Polícia Militar. Ele lamentou os casos de violência. “Infelizmente, não foi somente a pirâmide gigantesca, os shows de laser, show de drone, efeito especial que chamaram a atenção, mas também as lamentáveis cenas de arrastões que rolaram durante o evento. Isso é um problema de políticas públicas, é um problema social profundo que a gente vive e não cabe a mim”, afirmou o DJ.

Show de drones durante show de Alok em Copacabana

O artista chamou a atenção para o esforço que durou vários meses feito pela equipe que trabalha com ele em produzir uma apresentação memorável para o público. “Para vocês terem noção, ontem tinha o mesmo esquema de segurança que tem no réveillon de Copacabana, que reúne mais de um milhão de pessoas. É o meu papel é proporcionar o melhor show para as pessoas que estavam presentes ali. A gente fez isso com muito esforço”, disse Alok. O DJ também destacou que uma série de postagens foram feitas nas redes sociais atribuindo uma fala dele no Rock in Rio em 2019 como se tivesse sido proferida evento do último sábado. Ele afirmou que algumas pessoas estão usando o discurso em ações políticas. “Eu fiz um discurso pautado nos ensinamentos de Jesus de amar o próximo e não praticar o ódio, que o sentido da vida é amar. Mas explicar o que é o amor, às vezes, é muito complexo e tem uma forma mais fácil de explicá-lo. Que a gente sabe o que não é o amor: o ódio, a violência, a indiferença, o preconceito. Que é só excluir tudo isso e o que sobrar é amor”, disse. Alok afirmou ainda que esta foi a primeira vez que fez um evento gratuito no Rio de Janeiro e que uma equipe já está desmontando a estrutura da pirâmide na Praia de Copacabana. Ele ressaltou que eventos como o show geram empregos para a cidade. “Muitas pessoas que nunca tiveram a oportunidade de ir ao meu show puderam estar aqui presenciando uma estrutura incrível. E não faltaram esforços e investimentos para proporcionar a melhor experiência para todo mundo”, ressaltou o DJ.

Violência

A Polícia Militar conduziu cerca de 500 pessoas para as delegacias da região de Copacabana antes, durante e depois do show do DJ Alok na Praia de Copacabana. Os casos foram encaminhados para a 12ª DP (Copacabana), 13ª DP (Ipanema) e 14ª DP (Leblon).

Equipes da TV Globo foram até as delegacias onde as ocorrências foram distribuídas. A 12ª DP, responsável pela área do evento, concentrou cerca de metade dos casos, com mais de 200 pessoas conduzidas até o local pelas forças de segurança.

Cerca de 140 pessoas foram levadas para a delegacia do Leblon, e pelo menos 80 para a de Ipanema.

Os suspeitos foram detidos durante abordagens das equipes nos acessos ao palco montado nas areias e também em ações do serviço reservado, que contou com agentes no meio do público.

De acordo com a PM do Rio de Janeiro, a maior parte dos detidos foi conduzida após flagrantes de furtos.

Comentários


bottom of page