top of page
Buscar

Apenas 1 em cada 4 alunos brasileiros sabem mais do que o mínimo de matemática

O novo relatório do Pisa mostrou que o Brasil ficou abaixo da média dos países membros da OCDE nas três frentes de avaliação. - Com Terra

Em uma sala com dez estudantes brasileiros de 15 anos, é provável que menos de três saibam interpretar e reconhecer uma situação matemática sem que haja uma instrução direta. Isso é o que mostra o novo relatório do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa), referente ao ano de 2022.


O Brasil, mais uma vez, ficou abaixo da média dos países membros da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), nas três frentes de avaliação. Mas o desempenho em matemática foi o pior: apenas 27% dos estudantes brasileiros sabem mais do que o mínimo esperado pela entidade na disciplina, enquanto a média mundial é de 69%.


Em comparação com 2018, último ano em que foi realizado o Pisa, a média do Brasil em matemática caiu cinco pontos, e está em 379. Em leitura, caiu três pontos, ficando em 410. E em ciências, caiu um, atingindo 403 pontos.


Segundo o relatório, as quedas registradas em leitura e em ciências não foram significativas. Considera-se que o aprendizado do Brasil está estagnado nessas duas disciplinas. O País, inclusive, não apresenta mudanças relevantes em seus resultados médios desde 2009.


O que é o Pisa

O Pisa é uma pesquisa que ocorre a cada três anos com estudantes de 15 anos de todo o mundo. É avaliado até que ponto eles adquiriram conhecimentos e competências essenciais para a plena participação na vida social e econômica.

Embora a oitava avaliação tenha sido originalmente planejada para 2021, o Conselho Diretor do Pisa adiou a avaliação para 2022 devido às muitas dificuldades enfrentadas pelos sistemas educativos devido à pandemia da covid-19.

  • O Pisa 2022 abrangeu 37 países da OCDE e 44 países parceiros e economias, somando 81 avaliados;

  • O Pisa 2022 teve avaliações para testar os conhecimentos e habilidades dos alunos em: matemática, leitura, ciências, pensamento criativo e educação financeira;

  • Em cada rodada do Pisa, uma matéria é testada detalhadamente, ocupando quase metade do tempo total do teste. Dessa vez, foi matemática. Leitura, ciências e pensamento criativo ficaram como áreas secundárias;

  • O pensamento criativo foi avaliado como um domínio inovador pela primeira vez no Pisa 2022;

  • Tal como foi feito em 2015 e 2018, testes baseados em computador foram utilizados na maioria dos países e economias no Pisa 2022, com avaliações com duração total de duas horas para cada aluno;

  • Os alunos responderam a um questionário de antecedentes, que levou cerca de 35 minutos para ser preenchido. O questionário buscou informações sobre as atitudes, disposições e crenças dos alunos, suas casas e sua escola e aprendizagem experiências;

  • Os diretores das escolas preencheram um questionário que cobria a gestão e organização escolar, e o ambiente de aprendizagem;

A pandemia e o efeito no aprendizado em 2022


Este é o primeiro Pisa feito após as interrupções das aulas por causa da pandemia de covid-19. Tal impacto pode ser visto na média geral da avaliação, que registrou uma queda sem precedentes no desempenho em todo o mundo.


Por outro lado, 31 países conseguiram manter ou aumentar a média do desempenho de seus alunos na avaliação. Em comum, eles mantiveram as escolas fechadas por menos tempo e tiveram menos obstáculos para ofertar o ensino remoto.


Apesar disso, o relatório do Pisa ressalta que a pandemia não pode ser vista como o único fator que levou à queda da média mundial. As pontuações em leitura e ciências já vinham caindo desde antes da emergência sanitária.


O Brasil em comparação a outros países

No ranking com os 81 países e economias, o Brasil costuma aparecer na parte de baixo.


Na avaliação da performance em matemática, o Brasil aparece na 64ª posição;


Em ciências, o Brasil aparece na 61ª posição; 


Em leitura, o Brasil tem um desempenho um pouco melhor, ficando na 52ª posição.


Os países acima da média

No topo do ranking, 23 países ou economias têm notas acima da média da OCDE em matemática. Em leitura, 20 estão acima da média. E em ciências, o número chega a 24.


O continente asiático domina o top 5 em todas as áreas avaliadas. Singapura é o país com melhor desempenho nas três frentes, tendo, inclusive, aumentado a média em relação ao período pré-pandemia em matemática e em ciências. Confira:


コメント


bottom of page