top of page
Buscar

Chocolate amargo diminui fissura por cigarro, diz estudo brasileiro

Com CNN Brasil

Uma das principais dificuldades enfrentadas pelo tabagista que busca largar o cigarro é superar o período de abstinência, que geralmente dura de duas a três semanas. A fissura é manifestada por sensações de desconforto, angústia e um desejo intenso de fumar novamente. Diversas estratégias são empregadas para auxiliar o fumante a atravessar esse período sem desistir. Um estudo da Universidade Federal Fluminense (UFF), conduzido no Brasil, revela que o chocolate amargo pode ser uma alternativa para ajudar aqueles que desejam abandonar o vício.


Os resultados da pesquisa indicam que o consumo diário de uma porção de 40 gramas de chocolate amargo (com 70% de cacau) contribuiu para a diminuição da fissura em fumantes que estavam em tratamento. E importante: sem afetar as medidas corporais dos pacientes.


O medo de ganhar peso é justamente uma das razões que levam as pessoas a relutarem em parar de fumar. Segundo a nutricionista Aline Silva de Aguiar, especialista em dependência química e responsável pelo estudo, isso ocorre porque os fumantes desenvolvem uma seletividade alimentar devido à ação da nicotina, que acelera o metabolismo e interfere nas papilas gustativas da língua, reduzindo a sensação de sabor dos alimentos para o tabagista.


“Ele tende a pular refeições, não tomar café da manhã, tende a comer sempre de forma monótona por não sentir o prazer do sabor. Associado a isso, o Índice de Massa Corporal (IMC) de quem fuma tende a ser mais baixo. Geralmente, ele é uma pessoa mais magra ”, explica Aguiar, que também é professora do Departamento de Nutrição e Dietética da Faculdade de Nutrição da UFF. Ela ressalta que “o ganho de peso ao parar de fumar é irrisório perto dos benefícios de abandonar o cigarro”.


Como foi feita a pesquisa

A pesquisa foi realizada por nutricionistas do Grupo de Pesquisa em Nutrição Translacional da UFF, coordenado por Aguiar. Durante um mês, eles realizaram um estudo de intervenção clínica com 47 fumantes portadores de comorbidades crônicas (entre elas, diabetes e hipertensão) que eram atendidos na Unidade de Assistência Integral ao Tabagista, do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisa em Nefrologia, na cidade de Juiz de Fora (MG).


A nutricionista ressaltou que a maioria dos serviços voltados para a cessação do tabagismo não possuem nutricionistas na equipe – por isso, ela decidiu participar de um ambulatório dentro do Sistema Único de Saúde (SUS) para poder avaliar o impacto do alimento (no caso, o chocolate) como parte da intervenção para parar de fumar.Os tabagistas que participaram do estudo de intervenção foram divididos em dois grupos: um deles recebia 40 gramas de chocolate amargo para consumir ao longo da semana, além de receber orientação nutricional para cessação do tabagismo ministrada pelos nutricionistas. Já o outro grupo, o controle, recebia apenas a orientação nutricional.


Toda semana, os voluntários respondiam a um questionário sobre a fissura quando retornavam para o atendimento na unidade. Ao final deste período, ao analisar as respostas, os pesquisadores concluíram que o grupo que consumiu chocolate relatou menos episódios de fissura e menor desejo de fumar em comparação ao grupo que recebeu apenas intervenção comportamental. Além disso, quando comparado com o mix de frutas secas, o chocolate também apresentou resultados superiores.


Mas afinal, o que o chocolate amargo tem? Segundo a nutricionista, o cacau apresenta uma grande quantidade de compostos que impactam nos processos cognitivos e alterações de humor, além de oferecer atividade antioxidante e anti-inflamatória. O consumo de cacau contribui para a redução do estresse, auxiliando na minimização dos sintomas associados à ansiedade e alterações de humor. A escolha do chocolate amargo (70%) ocorreu precisamente devido à sua maior concentração de cacau, o que se traduz em mais efeitos benéficos.

Comments


bottom of page