top of page
Buscar

Cranberry: Eficiente na prevenção urinaria


As mulheres têm um risco de 50% de apresentar infecção do trato urinário (ITU) ao longo da vida, sendo que 20-30% desenvolvem recorrência subsequente.


A Cranberry (Vaccinium spp.) tem sido recomendada para o tratamento ITU e o mecanismo de ação proposto está relacionado às proantocianidinas (PAC) presentes nas cranberries e à capacidade dessas subtâncias em prevenir a adesão de bactérias ao urotélio.


Diversos ensaios clínicos randomizados foram realizados, no entanto, os estudos usaram uma variedade de formulações, incluindo suco e comprimidos, com diferentes concentrações de Proantociantidinas (PACs), o que dificulta a análise conjunta da evidência disponível.


O Guideline da Associação de Urologia Americana e Canadense para Infecções Recorrentes do Trato Urinário em Mulheres conclui que a Cranberry, em uma formulação disponível e tolerável ao paciente, pode ser oferecida como profilaxia, incluindo sucos e formulações, devido ao baixo risco associado.


Deve-se atentar aos sucos disponíveis no mercado quanto a presença de outros ingredientes, como açúcar, e a uma possível interação com a Varfarina. Também é possível a oferta da própria fruta desidratada, apesar de não existirem muitos estudos para que uma dose seja estabelecida.


Alguns trabalhos relataram doses diárias de 240–300 ml de suco de cranberry. As doses recomendadas para suplementação variam de 600 a 1.100 mg/dia divididas em 2 ou 3 doses (recomenda-se a adição vitaminas C e E para evitar oxidação).


O ideal é que a formulação seja padronizada em PACs. Um estudo examinando a urina humana após o consumo de suco de cranberry sugere uma dose de 72 mg de PAC.


Comentários


bottom of page