top of page
Buscar

Em Pauta: Anitta x Zé Neto


Respeito quem curte ambos os cantores. Para meu gosto musical, no entanto, estou mais para as obras de Chico Buarque, Noel Rosa, Cartola, João Bosco etc.


Mas o que está chamando atenção na mídia é a declaração do cantor Zé Neto, que faz dupla com Cristiano, ao espinafrar artistas que recebem recursos para financiar shows através da Lei Rouanet.


Tudo começou com uma fala de Zé Neto durante um show em Sorriso, no Mato Grosso, em 13 de maio deste ano. Para exaltar o próprio sucesso e a cidade que o recebia, o cantor lançou uma provocação sobre a Lei Rouanet e os artistas que precisam “fazer tatuagem no toba” para mostrarem se estão bem ou mal.


“Estamos aqui em Sorriso, Mato Grosso, um dos estados que sustentou o Brasil durante a pandemia. Não somos artistas que não dependemos de Lei Rouanet. Nosso cachê quem paga é o povo. A gente não precisa fazer tatuagem no ‘toba’ para mostrar se a gente está bem ou mal. A gente simplesmente vem aqui e canta, e o Brasil inteiro canta com a gente”, disse o cantor durante a apresentação.

Para quem não sabe, a cantora Anitta tem uma tatuagem íntima na região do ânus - a cantora falou sobre o desenho no reality “Ilhados com Beats”, e até postou um vídeo retocando a tattoo no site OnlyFans.


À época, seus fãs saíram em sua defesa, e famosos como Felipe Neto e GKay, também ficaram do lado da cantora


Até o pai de Anitta opinou sobre a polêmica, dizendo que não é a primeira vez que Zé Neto tem “problemas unilaterais” com sua filha.


Com a repercussão, surgiram os comentários sobre o uso de verbas públicas em shows sertanejos, até que, em 25 de maio, o MPRR (Ministério Público do Estado de Roraima) abriu investigação sobre a contratação do cantor Gusttavo Lima na cidade de São Luiz (RR), com cachê fixado em R$ 800 mil.


A população do município é estimada em 8.232 pessoas, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Dividindo o cachê acordado pelo número de moradores de São Luiz, cada cidadão estaria pagando cerca de R$ 97 pelo show.


Dias depois, a Prefeitura de Conceição do Mato Dentro (MG) anunciou que o show de Gusttavo Lima, previsto para o dia 20 de junho, com um cachê de R$ 1,2 milhão, estava cancelado.


Nenhuma dúvida que a fala de Zé Neto abriu uma “Caixa de Pandora”. Com o comentário do cantor revelou-se que boa parte dos shows realizados pelo Brasil teriam sido pagos com dinheiro público, muitas vezes sem licitação.


Na segunda-feira (30), em uma live no Instagram, o cantor Gusttavo Lima, atingido pela repercussão com o cancelamento de seus shows, fez um desabafo e ameaçou “jogar a toalha”.


Agora há uma pressão para que o Ministério Público avance nas investigações sobre contratos feitos por Prefeituras com cantores que recebem verbas vultosas. Inclusive, uma denúncia foi divulgada pela mídia em que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Social) teria liberado pouco mais de R$ 320 milhões para uma empresa que administra cantores, entre os quais, Gusttavo Lima.


Apenas para conhecimento, a Lei Rouanet foi criada em 1991 como incentivo à Cultura. Ela é concebida por sua política de incentivos fiscais para projetos e ações culturais. Por meio dela, cidadãos (pessoa física) e empresas (pessoa jurídica) podem aplicar nestes fins parte de seu Imposto de Renda devido.

Comments


bottom of page