top of page
Buscar

Em Pauta: O caso do paciente no chão do Pronto Socorro


Em outro artigo escrevi sobre os profissionais de saúde que estão na linha de frente para enfrentamento à pandemia. Citei-os como nossos heróis.


Com a nova variante, a Ômicron, e com o crescente número de casos de Covid, novamente vê-se um desdobramento gigante destes profissionais para conter a pandemia e evitar novos óbitos.


Dito isso, chamou atenção um fato ocorrido no final de semana que passou, a partir de uma postagem na web de uma paciente no chão do Pronto Socorro da Santa Casa de Presidente Venceslau a espera de atendimento. Os comentários na postagem cobravam mais médico plantonista e maior humanidade por parte do único hospital da cidade.


Em nota, a Santa Casa respondeu que “nunca deixou de atender os pacientes”, mesmo com toda dificuldade que enfrenta, e orientou que as reclamações deveriam ser dirigidas à administração do hospital para corrigir eventuais falhas.

Na nota, a direção da Santa Casa lembrou da dedicação que os profissionais de saúde dispensam aos pacientes, ao desempenhar suas funções com carinho e amor. Citou anda que maioria das santas casas e hospitais filantrópicos ficaram sobrecarregados em razão da pandemia.


Nos últimos dias tenho observado postagens nas redes sociais com críticas aos serviços de saúde. Porém, ao meu ver, muitas dessas críticas não merecem crédito diante do momento pandêmico.


Ah, então os serviços de saúde no país estão uma maravilha? Sem generalizar, obviamente que temos muitos problemas no setor, principalmente pela grande demanda e falta de maior estrutura para atendimento.


Ressalta-se, porém, que estamos vivenciando dois anos de pandemia e que no país já foram registrados mais de 625 mil óbitos. Somente em Presidente Venceslau, 120 pessoas morreram em consequência da Covid-19.


Nossos profissionais de saúde estão esgotados, cansados, estressados. Não está sendo fácil para eles deixarem suas casas, sua família, para enfrentar uma pandemia que ainda continua matando milhares de pessoas pelo mundo.


Há que se respeitar esses profissionais.


A cena do paciente no chão no Pronto Socorro sinaliza o quão está sendo difícil para enfrentamento da pandemia diante do crescimento exponencial de casos da Covid. Não esqueçamos que, junto com a pandemia, os serviços de saúde atendem diversas anomalias e casos de urgência.


De qualquer forma, creio que a direção Santa Casa local deveria dar uma resposta mais objetiva sobre a cena da paciente no chão do Pronto Socorro. Para um hospital que recebe recursos do município, do Estado e da União, além de emendas parlamentares, seria mais lógico e justo que viesse uma explicação mais plausível sobre a cena que virou assunto nas redes sociais.


Por outro lado, é bom que se diga que tem muita gente que critica os serviços de saúde, no entanto não usa máscara, não segue as recomendações para evitar o contágio, aglomera-se e, pior, posiciona-se contra a vacina.

bottom of page