top of page
Buscar

Em Pauta: Por que se lê poucono Brasil?


A importância da leitura está relacionada com a comunicação que temos no dia a dia. Quem lê mais consegue se destacar na hora de se comunicar com as pessoas.


Mais informação, mais conteúdo sobre o que acontece ao nosso redor vem através da leitura, seja de jornais, revistas ou livros.


A leitura contribui para formação cultural. Pessoas que não leem não evoluem o pensamento e o conhecimento. Sem conhecimento, o homem não consegue crescer no seu dia a dia.


Com a leitura descobrimos novos horizontes para transpor os obstáculos que surgem na nossa frente.


Então, por que é baixo o índice de leitura entre os brasileiros?


Se fizer uma busca sobre as razões do baixo índice de leitura, certamente uma das respostas será que a falta de acesso está relacionada ao preço do livro.


Ou então, em razão da baixa qualidade de ensino que se tem no país, este fator estaria por trás do desinteresse pela leitura.


Anos atrás, para tentar entender as razões, algumas pesquisas foram realizadas. Uma delas, a Retratos da Leitura no Brasil, encomendada pelo Instituto Pró-Livro, apontou que o número de leitores na classe alta brasileira, que ganham de 5 a 10 salários mínimos, é maior do que os das classes mais baixas. Quanto menor a renda, quanto menor suas condições sociais, maior o número de não leitores.


A pesquisa considerou ainda como Leitor o indivíduo que “leu, inteiro ou em partes, pelo menos um livro nos últimos três meses”; o Não Leitor “é aquele que declarou não ter lido nenhum livro nos últimos 3 meses, mesmo que tenha lido nos últimos 12 meses”.


Nessa situação nós temos mais duas perguntas: a condição de vida dessas pessoas é melhor por que elas têm o hábito de ler? Ou elas têm o hábito de ler por que possuem uma condição de vida melhor?


É importante lembrar que essa associação de riqueza cultural com a leitura não está necessariamente conectada à riqueza econômica. Algumas das maiores economias do mundo não são as que possuem o maior número de leitores. Segundo o World Culture Score Index (Índice de Cultura Mundial), a Índia é o país com a maior média de leitura do mundo, estipulando 10h42min de leitura por semana. O Brasil tem metade desse percentual, com 5h12min de leitura semanais; 30min a menos do que os EUA e 1h06min a mais do que o Japão.


Veja a resposta da maior autoridade no mundo, a Unesco. Para o setor da ONU que cuida de educação e cultura, só há leitura onde: 1) ler é uma tradição nacional, 2) o hábito de ler vem de casa e 3) são formados novos leitores.

O problema é antigo: muitos brasileiros foram do analfabetismo à TV sem passar na biblioteca. Para piorar, especialistas culpam a escola pela falta de leitores.



“Os professores costumam indicar livros clássicos do século 19, maravilhosos, mas que não são adequados a um jovem de 15 anos”, diz Zoara Failla, do Instituto Pró-Livro. “Apresentado só a obras que considera chatas, ele não busca mais o livro depois que sai do colégio”, justifica.


Muitos educadores defendem que o Brasil poderia adotar o esquema anglo-saxão, em que os clássicos são um pouco mais próximos, dos anos 50 e 60, e há menos livros, que são analisados a fundo.


Mas aí teria de mudar o vestibular e o Enem, é isso já é outra história.

Comments


bottom of page