top of page
Buscar

ENTRELINHAS, nossa coletânea mais recente

 

No último dia 30 de novembro, a Academia Venceslauense de Letras lançou sua 3ª Coletânea "Entrelinhas" que contém textos de 17 acadêmicos e 8 de autoria de alunos de escolas locais. O evento aconteceu no Anfiteatro "Nelson Reis Oberlaender" e contou com um público expressivo. Nosso objetivo, com essa coletânea, é levar ao público leitor a expressão de temas, conceitos e o talento dos acadêmicos da AVL, apaixonados pela leitura e escrita.


Contamos mais uma vez, nessa empreitada, mediante uma rigorosa seleção, com o auxílio financeiro da Lei Paulo Gustavo de apoio a ações de fomento à cultura.


Assim sendo, tendo atendido todos os requisitos exigidos pela legislação, está implícito o compromisso de que a Academia distribua, doe exemplares dessa coletânea a escolas públicas e particulares de Ensino Fundamental ou Médio e também a instituições de Ensino Superior locais e /ou regionais. Vale também doar livros para espaços não escolares. O importante, como se depreende, é fazer com que o livro físico chegue às mãos do maior número de pessoas e sendo lido consiga transmitir e possibilitar o entendimento do que está expresso em cada texto.


Vale ressaltar que  a Academia Venceslauense de Letras já publicou duas outras coletâneas: “Sons da Alma” e “Emoções que florescem”.


Somos um grupo de profissionais liberais, cada um com seu mister, mas há algo que nos une: nosso amor pelas letras, pelas palavras, faladas ou escritas. Nossa Academia teve seu início em 2007, já atingimos os 16 anos.  Temos acadêmicos que em sua maioria moram em Presidente Venceslau e outros que moram em localidades vizinhas. Às vezes mais ativamente, às vezes mais discretamente, mas temos o orgulho de dizer que construímos laços de amizade e respeito entre nós e temos um público leitor seleto. Temos, paralelamente, executado algumas ações que visam nos aproximar da clientela escolar para que possamos envolvê-los com nosso conhecimento e principalmente com nossa benquerença com a linguagem e/ou língua portuguesa.  E assim garantir a perpetuação de nossa Academia.


Quem apenas observa, talvez não se convença de nossa trajetória. Afinal, somos pais, mães, médicos, professores, funcionários, empresários... que após uma jornada de trabalho diária, nem sempre leve, ainda se propõem a participar de reuniões, planejar ações culturais, pensar a cultura e expressar o mundo e sentimentos que vivemos e vemos com nosso olhar já bastante experiente, em sua maioria, e  ousamos  exteriorizá-los  e dividir com nossos leitores os nossos pensamentos oportunizando que os mesmos possam discordar já que a premissa indispensável já estará consumada: a leitura.


Como desenvolver o gosto pela leitura? Lendo. O que ler? O que cair em suas mãos. Leia, releia, entenda, apure, avalie e aprenda. Sempre é possível extrair algo de qualquer texto: algo bom, a ser seguido ou algo ruim que deve ser evitado. E assim então você estará dando o primeiro passo para se tornar um “leitor completo” conforme Umberto Eco ou um “leitor de alma já formada”, conforme Clarice Lispector. E então você poderá adentrar o mundo da leitura. Denso. Prazeroso. Instrutivo. Complexo e ao mesmo tempo, paradoxalmente, simples. E sua vida será mais rica. E seus sentimentos serão mais nobres. E sua compreensão de mundo será mais ampla e mais  complacente e mais piedosa. E então você poderá influenciar outras pessoas e então o mundo poderá se tornar um lugar mais aprazível! Vale tentar!


“Os verdadeiros analfabetos são os que aprenderam a ler e não leem”. (Mário Quintana)


(*) Aldora Maia Veríssimo – Presidente da AVL 

Comments


bottom of page