top of page
Buscar

Estado vai complementar valores repassados ao SUS em 15 hospitais da região; veja quais

Atualizado: 8 de set. de 2023

Será pago às unidades até cinco vezes mais por procedimento do que o estabelecido pela tabela nacional; medida entra em vigor em janeiro de 2024 - O Imparcial

Santa Casa de Prudente será uma das entidades beneficiadas pela medida


O governo de São Paulo anunciou, no dia 28 de agosto, a Nova Tabela SUS (Sistema Único de Saúde) Paulista. A iniciativa, liderada pela Secretaria de Estado da Saúde, vai complementar os valores repassados pelo Ministério da Saúde, pagando às unidades, entidades filantrópicas e autárquicas até cinco vezes mais por procedimento do que o estabelecido pela tabela nacional do SUS. Em janeiro de 2024, quando a medida entrar em vigência, 15 Santas Casas e hospitais da região de Presidente Prudente serão beneficiados com o aumento previsto na remuneração por procedimentos realizados.

Trata-se da Santa Casa de Presidente Venceslau; Santa Casa de Álvares Machado; Santa Casa de Tupi Paulista; Santa Casa de Dracena; Santa Casa de Junqueirópolis; Santa Casa de Martinópolis; Santa Casa de Presidente Epitácio; Santa Casa de Santo Anastácio; Hospital Regional de Teodoro Sampaio; Hospital Psiquiátrico Espírita Bezerra de Menezes, em Presidente Prudente; Hospital e Maternidade Regional Regente Feijó; Hospital Doutor Aristóteles Oliveira Martins (Santa Casa), em Presidente Prudente; Hospital e Maternidade de Rancharia; Hospital de Misericórdia Nossa Senhora Aparecida, em Presidente Bernardes, e Fundação Hospital Regional do Câncer (Hospital de Esperança), em Presidente Prudente.

“Vamos alocar recursos novos do Tesouro do Estado para aumentar o teto financeiro dos hospitais e, assim, possibilitar um maior volume de atendimento para diminuir as filas que causam tanto sofrimento a nossos pacientes,” afirmou o secretário Eleuses Paiva durante o evento de lançamento da nova tabela. O investimento anual adicional do governo de São Paulo é de cerca de R$ 2,8 bilhões.

Segundo o Estado, "além de contribuir para a sustentabilidade financeira das instituições, a iniciativa terá impacto direto na qualidade dos serviços prestados à população". "O novo modelo de remuneração vai beneficiar 354 hospitais em todas as regiões do Estado, entre eles santas casas, entidades filantrópicas e autárquicas. Estes equipamentos representam hoje 50% do atendimento hospitalar no sistema único de saúde paulista", afirma.


Os reajustes abrangem cerca de 5 mil procedimentos hospitalares. Entre eles, as cirurgias de apêndice, por exemplo, deverão passar de R$ 414,62 para R$ 1.865,79, e as de vesícula (colecistectomia) irão de R$ 996,34 para R$ 4.483,53. Para incentivar a ampliação de partos normais no SUS, o valor pago vai aumentar de R$ 443,40 para R$ 2.217 por procedimento. O valor será superior ao das cesáreas, que também serão reajustadas, de R$ 545,73 para R$ 2.182,92. Já as internações de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) terão o valor duplicado.


Nos próximos meses, a equipe técnica da Secretaria de Estado da Saúde irá se reunir com todos os serviços de saúde para discutir metas de atendimento, permitindo que os recursos sejam pagos até o começo do próximo ano.

Comentários


bottom of page