top of page
Buscar

EUA: Homem que comia bacon mal passado descobre larvas de tênia no cérebro

Com UOL

Imagens médicas mostram a localização dos cisticercos no cérebro do pacienteImagem: Reprodução/American Journal of Case Reports


Um norte-americano de 52 anos descobriu que tinha cisticercose (uma doença causada por larvas de tênia) no cérebro, ao ser hospitalizado nos EUA após sofrer durante quatro meses com uma enxaqueca severa.


O que aconteceu

O paciente foi internado no hospital para exames. A tomografia computadorizada revelou numerosos focos císticos, que são pequenas bolsas cheias de líquido no cérebro. Os testes de anticorpos para cistos de cisticercose retornaram positivos e o homem foi diagnosticado com neurocisticercose, afirma um estudo publicado no American Journal of Case Reports.


Os pesquisadores acreditam que ele foi infectado por ovos de tênia (mais conhecida como solitária) ao comer bacon mal cozido, um costume que ele manteve desde a infância. O paciente não viajou recentemente para áreas de alto risco, e seu "hábito de comer bacon levemente cozido e não crocante durante a maior parte da vida" foi a única ligação com o diagnóstico de neurocisticercose.


"Isso só pode ser especulado, mas dada a predileção do nosso paciente por carne de porco mal cozida e o histórico de exposição benigna, somos levados a acreditar que a cisticercose tenha sido transmitida por autoinfecção após lavagem inadequada das mãos, após ele próprio ter contraído teníase devido aos seus hábitos alimentares", concluiu o relatório.


A neurocisticercose é uma forma de infecção parasitária do tecido causada por cistos larvais da tênia do porco, encontrados no cérebro, afirma o CDC (Centro de Controle e Prevenção de Doenças) dos EUA.


Uma pessoa contrai cisticercose ao ingerir cistos larvais de fezes infectadas, o que normalmente ocorre pela falta de lavagem das mãos, segundo o CDC. A doença é endêmica no mundo em desenvolvimento devido à falta de saneamento.


O paciente foi tratado com sucesso com medicamentos antiparasitários e anti-inflamatórios. Suas lesões cerebrais regrediram e suas dores de cabeça melhoraram.


É "muito raro" que os pacientes contraiam neurocisticercose nos EUA, mas as conclusões do estudo podem mudar essa noção. "É historicamente muito incomum encontrar carne suína infectada nos Estados Unidos, e nosso caso pode ter implicações para a saúde pública", escrevem os pesquisadores no relatório.


Os sintomas da neurocisticercose variam de dores de cabeça a convulsões, dependendo de quais estruturas e tecidos foram infectados. A doença pode ser fatal, segundo o CDC.

Comments


bottom of page