top of page
Buscar

Homem transforma carro popular em conversível rosa para realizar sonho da esposa

Atualizado: 13 de jul. de 2023

Casal é de Caraguatatuba, no Litoral Norte de SP e trabalha com estética automotiva. Eles transformaram um Peugeot 206, do ano 2006, em um réplica de um Cabriolet. - Com G1

Sem dinheiro, mas com o sonho de dar um presente especial no aniversário da esposa, um mecânico do litoral de São Paulo decidiu transformar um carro popular Peugeot 206 em uma réplica do conversível Cabriolet. Pintado de rosa perolado, o veículo chama atenção e agora é conhecido como o conversível da Barbie: “Era o sonho dela”.


Emerson Santos, de 38 anos, e Ananda Pontes, de 28, são de Caraguatatuba, no Litoral Norte do estado. Ele trabalha com estética automotiva e há anos ouvia um pedido antigo da esposa para ter um carro rosa.

“Desde que começamos a namorar ela me pedia um carro rosa, falava que era o sonho dela, mas passaram anos e não consegui realizar esse sonho. Ela tinha um Peugeot 206, duas portas, bem velhinho, que compramos por R$ 3 mil. Pensei, além de pintar de rosa, porque não transformar em um conversível? Ela achou loucura, mas entrou na onda”, contou Emerson. A reforma começou em outubro de 2022. O mecânico arrancou o teto do carro e adaptou o veículo para transformá-lo em um conversível. Com o dinheiro contado, ele buscou equipamentos de sucata para fazer as mudanças.

“Tudo foi feito na garagem do fundo de casa. Não sou profissional, então fui tirando dúvidas em vídeos que via na internet. Eu ia todo dia no ferro velho em busca de sucata. Coloquei bastante ferro para deixar o porta-malas firme, pois depois que arranquei o teto ele ficou meio mole. O pessoal brincava até que eu estava construindo uma laje no carro, de tanto ferro que colocava”, disse Emerson. Foram seis meses transformando o carro, usando sucata, ripas de madeira e restos de ferro. Na reta final, a Ananda passou a participar da construção do conversível e fez a mão os bancos e as capas para o veículo.

“Foi um sofrimento, bem difícil fazer o carro. Colocamos até uma foto de um cabriolet original do lado, para gente se inspirar e não desistir. Eu tive que fazer os bancos e a capa, não sabia costurar muito bem, mas fui na fé, desmanchando, tirando dúvida com a sogra e tudo deu certo!”, contou Ananda. Com o veículo transformado, o casal ganhou uma doação de tinta de uma amiga e conseguiu pintar o veículo com a cor rosa, em uma tonalidade perolada. O carro ficou pronto em março deste ano, mês em que a Ananda faz aniversário.

“Ela amou. Era realmente um sonho. Ela tem várias coisas rosa, é apaixonada por essa cor. Nossa filhinha, ela só veste de rosa. Agora o pessoal só chama ela de Barbie, a Barbie de Caraguatatuba. Ver o carro pronto foi uma alegria, mostrou o quanto somos capazes de fazer por quem amamos”, contou Emerson empolgado. “A gente só anda com ele no bairro. Onde para, a turma fica louca, a pintura dele chama muita atenção. O pessoal fica admirando, olhando, filmando, porque é bem diferente. Teve gente que veio até de Brasília só para conhecer o carro”, afirmou Emerson. Segundo a Ananda, até proposta de compra já receberam, mas o carro se tornou parte da história da família, sendo impossível de desapegar.

“Já fizeram proposta de até R$ 50 mil pelo carro, mas é fabricado por nós, é um amor tão grande. Não dá pra rifar, vender, nem nada, na hora do vamos ver, o coração aperta. Era um sonho de infância”, disse Ananda. Na igreja, no bairro, entre a família e amigos, a Ananda ganhou o apelido de Barbie. Com a cor rosa em alta por causa do filme da Barbie que será lançado e essa realização do sonho, a mulher conta que está aceitando o apelido com carinho e cogita até ir ao cinema em grande estilo para ver o filme, chegando no conversível.

"Estou planejando ir sim! Vi que o filme vai sair nos próximos dias! Imagina, chegando com o conversível no cinema, toda de rosa, com certeza vai ser um sucesso, o pessoal vai amar!", brincou.

Pela lei, o carro não é regularizado, por isso Ananda não faz viagens ou passeios com o carro, usando o veículo conversível mais para fotos, apenas no bairro Morro do Algodão, onde reside.

Comments


bottom of page