top of page
Buscar

Idade média da população regional é maior que estadual

Com O Imparcial

Média da 10ª RA foi calculada a partir dos números de todas as 53 cidades divulgados pela fundação


Dados da Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados) apontam que a idade média da população paulista vem aumentando de forma gradativa, já que passou de 26,1 para 37,1 anos, entre 1980 e 2022, o que, diferente do passado, faz com que o Estado não seja predominantemente jovem, já que é formado em sua maioria por uma população adulta. Tal cenário é refletido no oeste paulista, sendo que Presidente Prudente cataloga, em 2023, idade média da população ainda mais alta que o Estado, de 39 anos, com índice semelhante de 38,8 anos para toda a 10ª RA (Região Administrativa) do Estado de São Paulo. Para a fundação, tais informações, elaboradas com base nas projeções populacionais do próprio Seade, revelam uma tendência de queda da fecundidade e aumento da longevidade.


A idade média da população da 10ª RA, de 38,8 anos, foi calculada pela reportagem de O Imparcial, levando em conta os números de todas as 53 cidades divulgados pela fundação, conforme tabela. Os dados do Seade, estes atualizados em 2023, expõem que o oeste paulista soma hoje uma população total de 869.690 habitantes, sendo 431.886 do sexo masculino e 437.804 do feminino.


Ambas as idades médias da população, anotadas em Prudente e na 10ª RA, superaram as marcas de alguns dos maiores municípios do Estado, como São Paulo (37,6 anos) e Campinas (38,0 anos). E estes índices são ainda mais altos em algumas cidades do oeste paulista, como Ribeirão dos Índios (42,1 anos), Flora Rica (42,3 anos) e São João do Pau d’Alho (43,5). Já entre as áreas com menores idades médias na região, estão Pracinha (33,6 anos), Nantes (35,1) e Tarabai (35,8).


Crescimento populacional

Além da evolução da idade média da população, o Seade analisou o crescimento populacional por grupos de idade, entre 2010 e 2022. O aumento da longevidade na 10ª RA pode ser comprovado quando considerada a elevação no número de idosos neste período. Na faixa de 60 a 74 anos, a comunidade passou de 86.085 para 124.256 habitantes, uma alta de 44,34%. Em relação àqueles com 75 anos ou mais, a expansão foi ainda mais expressiva, de 46,33% em doze anos, passando de 33.258 para 48.669 moradores. 


“É nítida a transformação na composição etária da população no século 21. Enquanto o grupo de 0 a 29 anos despontava como o mais numeroso em 2000, observam-se no período contínua redução das faixas mais jovens e aumento daquelas com mais de 30 anos. Em 2010, o maior contingente tinha de 15 a 29 anos, mas perdeu essa posição, em 2022, para a faixa de 30 a 44 anos”, esclarece a fundação.


Tal explicação reflete exatamente o constatado no oeste paulista. De 2010 para 2022, o grupo de zero a 29 anos diminuiu 15%, passando de 372.302 para 315.972 habitantes de tais idades. Em contrapartida, a faixa de 30 a 59 anos, considerada a população adulta, cresceu 8,46%, ao sair dos 341.885 para alcançar 370.814 moradores.

bottom of page