top of page
Buscar

Idosa dada como ‘morta’ acorda dentro de caixão após 4 h de velório

Uma idosa de 76 anos que foi declarada morta acordou em um caixão quatro horas após o seu próprio velório no Equador, relatou o filho dela neste domingo.

Um vídeo divulgado no Twitter mostra Bella Montoya dentro do caixão e respirando com dificuldade, após a abertura da tampa. Dois homens ajudam a idosa.

Bella começou a mexer a mão esquerda e a abrir os olhos e a boca durante o velório, segundo os relatos. “Ela fazia esforço para respirar”, disse o filho da idosa, Gilber Rodolfo Balberán Montoya.

O filho disse que às 12 horas de sexta (9) foi informado sobre a morte. Bella sofre de hipertensão e problemas cardíacos e começou a apresentar problemas na madrugada devido a um AVC (acidente vascular cerebral). Ela foi internada no hospital Martín Icaza, na cidade de Babahoyo, no mesmo dia.

Um atestado de óbito de Bella foi emitido e fornecido à família. Eles tiveram que pedir doações para conseguir comprar o caixão. O filho aponta negligência do hospital.

Acredita-se que ela teria sofrido uma catalepsia (paralisação dos membros e da cabeça, com rigidez do corpo), segundo a mídia local. A causa da morte (que não aconteceu) foi uma parada cardiorrespiratória derivada de uma doença cerebrovascular não especificada, segundo o hospital. O hospital não se pronunciou sobre o caso.

A idosa está internada na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do mesmo hospital em que foi declarada morta, sob uso de oxigênio e observação médica. O médico que teria dito que ela morreu não estava no local no momento em que Bella foi levada até a unidade de saúde.

Minha mãe está no oxigênio. O coração dela está estável. O médico apertou a mão dela e ela reagiu; eles me dizem que isso é bom, porque significa que ela está reagindo aos poucos.”Filho, em declarações publicadas pelo jornal El Universo

“Pouco a pouco estou assimilando o que aconteceu. Agora só peço que a saúde de minha mãe melhore. Quero ela viva e ao meu lado”, disse Balberán, conforme o site El Universal. (Com UOL)

Comments


bottom of page