top of page
Buscar

Inquérito aponta que motorista não teve culpa no atropelamento de Kayky Brito

Laudo obtido com exclusividade pela TV Globo aponta que veículo rodava com média de 48 km/h, bem abaixo dos 70 km/h permitidos no local. - Com G1

A Polícia Civil concluiu que o motorista de aplicativo que atropelou o ator Kayky Brito na orla da Praia da Barra da Tijuca, na madrugada de 2 de setembro, estava abaixo da velocidade da via.


De acordo com o relatório final da 16ª DP (Barra da Tijuca), obtido pela TV Globo com exclusividade, Diones Coelho da Silva dirigia seu veículo a uma média de 48 km/h no momento da colisão. A permissão naquele trecho da Avenida Lúcio Costa, altura do Posto 6, é de até 70 km/h.

Kayky sofreu politrauma corporal e traumatismo craniano (entenda) e passou semanas na UTI, mas vem se recuperando e deixou a unidade intensiva na sexta-feira (22).

O delegado Ângelo Lages concluiu que Diones não responderá por crime algum porque ficou comprovado que:

  • estava dentro do limite de velocidade;

  • não havia bebido ou usado outra substância, segundo exames feitos no dia;

  • conduzia o automóvel com atenção – como comprovado por imagens e pelo depoimento da testemunha, a passageira Maria Estela Lima;

  • parou o carro e prestou socorro.

“Ele ainda realizou ações para evitar a colisão, apesar da escassez temporal para reação e frenagem. Entendemos que todos os elementos colhidos em depoimentos, laudos e vídeos, além da atitude de socorrer a vítima, isentam o motorista de qualquer responsabilidade”, explicou Ângelo. A polícia vai agora solicitar o arquivamento do caso e encaminhar o inquérito ao Ministério Público, que posteriormente seguirá para a Justiça.

O laudo

O laudo de perícia produzido pelo Instituto Criminalista Carlos Éboli (ICCE) atestou que o condutor do Fiat Cronos, placa LVE 9B86, estava a menos de 10 metros do ator e a 0,73 segundo de distância de Kayky quando o artista iniciou a travessia na pista, correndo e saindo de trás de outro carro.

De acordo com os peritos, para ter um tempo hábil de reação e tentar evitar uma possível colisão, a distância inicial entre condutor e pedestre deveria ser de mais de 26 metros. Ou seja, mais do que o dobro. “O laudo é esclarecedor, e não restam dúvidas. A distância entre carro e vítima no instante em que ele inicia a travessia, mesmo a uma velocidade abaixo da permitida, era insuficiente para que o motorista percebesse, reagisse e parasse o veículo sem impacto.”

O acidente

Uma câmera de segurança da Avenida Lucio Costa, altura do número 4.700, na Barra da Tijuca, registrou o momento do acidente.

Nas imagens, a câmera marca o horário de 0h50, quando o ator volta do carro do amigo e também ator Bruno De Luca, com quem estava bebendo em um quiosque. O vídeo mostra que Kayky sai correndo de trás de outro carro estacionado à esquerda, e o motorista ainda tenta desviar, mas atinge o ator.

Kayky foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros com traumatismo craniano e várias fraturas pelo corpo, e levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, no Leblon, na Zona Sul do Rio. De lá, foi transferido para o Copa D'Or, onde segue em recuperação.

bottom of page