top of page
Buscar

Integrantes do MST voltam a ocupar área da Embrapa e culpa governo


Nesta segunda-feira (31), véspera da realização do evento “Semiárido show”, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra ocuparam uma área de pesquisa da Embrapa em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Cerca de 100 famílias de Pernambuco e da Bahia estão instaladas na área.


Essa é a segunda vez que essa área é ocupada pelo MST. A última ocorreu durante as mobilizações do Abril Vermelho, até que uma ordem judicial determinou a saída do grupo e as famílias tiveram que ser deslocadas para uma área próxima cedida por um membro do movimento.


De acordo com um integrantes do MST, Reginaldo Martins, a nova ocupação ocorreu devido o não cumprimento de um acordo firmado pelo governo e movimento em 19 de abril deste ano.


“Até agora só se cumpriu um ponto que foi o cadastramento, que conseguiu identificar 859 famílias. Os outros pontos que é aquisição de cinco propriedades , não se avançou. Outro ponto que falta e que é muito fundamental para os assentamentos é a criação do Incra de Petrolina”, destacou.


A área ocupada pelo MST é conhecida como “Embrapa Semente Básica” e funcionava como uma área mercadológica de sementes e mudas básicas até 2019. De acordo com a chefe-geral da Embrapa, Maria Auxiliadora Coelho de Lima, a área ainda segue produtiva e serve à realização de pesquisas sobre as espécies forrageiras e nativas da caatinga e o evento “semiárido show”.


O evento Semiáriado Show 2023 deste ano está previsto para começar nesta terça-feira (1º) e pretende reunir cerca de 20 mil pessoas, entre pesquisadores, representantes do governo federal, agricultores e estudantes. A Embrapa acionou uma equipe de segurança e continua com a montagem da estrutura do evento.


Os manifestantes afirmam que só sairão do local do evento após um retorno de Brasília para estabelecer uma decisão concreta sobre o destino das famílias.


(Com g1)

Commentaires


bottom of page