top of page
Buscar

Marfrig vende unidade frigorífica de Bataguassu para Minerva

Além de Bataguassu, o negócio envolve mais 10 plantas no Brasil, três no Uruguai, uma na Argentina e uma no Chile - Cenário MS

Unidade da Marfrig de Bataguassu - Foto: Prefeitura de Bataguassu


A Minerva fechou a compra de 16 plantas de abate e desossa da concorrente Marfrig por R$ 7,5 bilhões nesta segunda-feira, 28. O negócio envolve 11 plantas no Brasil, três no Uruguai, uma na Argentina e uma no Chile, mais um centro de distribuição. A unidade frigorífica de Bataguassu, é uma das plantas que foi comprada. No entanto, a empresa continua com sua nova fábrica de hambúrgueres, inaugurada no ano passado.

Além da unidade da Marfrig de Bataguassu, a Minerva também negociou as unidades de Alegrete e Bagé e São Gabriel, no Rio Grande do Sul, Chupinguaia, em Rondônia, Mineiros, em Goiás, Pontes e Lacerda e Tangará da Serra, no Mato Grosso. No Brasil, serão alienadas – além dessas – mais três plantas inativas. Na Argentina, será alienada a unidade de abate de bovinos de Villa Mercedes. No Chile, a unidade de abate de ovinos da Patagônia e, no Uruguai, as unidades de abate de bovinos de Colônia, Salto e San José. Segundo a Marfrig, pelo acordo, foi acertado um sinal de R$ 1,5 bilhão recebidos nesta segunda-feira, enquanto o saldo de R$ 6 bilhões será pago no fechamento da transação, “tendo o comprador apresentado compromisso firme de financiamento de instituição bancária”. A transação, segundo a empresa, reforça a estratégia de foco em produtos de alto valor agregado.

Ainda de acordo com a Marfrig, os complexos industriais da região, que integram abate e produção de itens de alto valor agregado, com maiores escala, eficiência e margens de lucro, permanecem sob a gestão da companhia, que passa a ter uma receita consolidada anual de cerca de R$ 130 bilhões.

"Cada vez mais, nos consolidamos como uma companhia global, com diversificação geográfica, produtos de alto valor agregado e marcas líderes em seus segmentos", diz Marcos Molina dos Santos, fundador e presidente do Conselho de Administração da Marfrig. "Enxergamos enormes oportunidades de crescimento, com margens mais altas e mais resilientes."

A Marfrig mantém o equivalente a 60% das receitas totais obtidas pela Operação América do Sul em 2022, com margens de dois dígitos, e continua a exportar para mais de 140 países

A companhia mantém todos os seus complexos industriais na região: Pampeano, no Rio Grande do Sul, maior exportador de derivados de carne bovina enlatada para a Europa, e as unidades de abate e de processamento de produtos de alto valor agregado e de marca de Várzea Grande, no Mato Grosso, e de Promissão, no interior de São Paulo.

"A empresa também continua com sua nova fábrica de hambúrgueres de Bataguassu, no Mato Grosso do Sul, além do complexo industrial de San Jorge, na Argentina, onde produz itens de marcas como Quickfood, Paty e Vieníssima!. No Uruguai, permanecem sob o controle da Marfrig o complexo industrial de Tacuarembó, líder na produção de carne orgânica, e a unidade de processados de Fray Bentos. No Chile, a companhia mantém seus complexos de armazenagem, distribuição e trading", destacou a empresa em nota

A alienação dos ativos de abate não envolve troca de ações e está sujeita à aprovação das autoridades regulatórias e concorrenciais.

Comments


bottom of page