top of page
Buscar

Menina costura bandanas para animais de abrigo ficarem “fofinhos” e serem adotados

Fonte: Só Notícia Boa

Foto: reprodução/WJAR


Essa menina de 11 anos usa as habilidades de costura para fazer bandanas para animais de abrigo na esperança de deixá-los mais fofinhos e assim, serem finalmente adotados.


Malia Martinez teve a ideia do projeto depois que a cadelinha dela, chamada Jada, faleceu. Como o condomínio onde ela mora não é permitido animais de estimação, ela começou a visitar com frequência alguns abrigos. 


“Quando vou vê-los no abrigo, é meio triste”, disse Malia. “Talvez isso os faça pensar: ‘Oh, esses cachorros são realmente muito fofos, talvez eu possa adotá-los’. Ela também vende os acessórios em eventos e doa todo o dinheiro arrecadado aos pets. 


Aprende com a vovó 


A moradora de Westport, Estados Unidos, aprendeu o novo ofício recentemente depois que ganhou um vale-presente de Natal para começar as aulas de costura. Se não está na escola, Malia passa a maior parte do tempo costurando na casa da avó. 


E é com a ajuda dela que a pequena vem aperfeiçoando a habilidade com as linhas e agulhas. “Minha mãe corta o tecido para ela, monitora, ajuda quando precisa passar o tecido, coisas assim”, disse Crystal Martinez, mãe de Malia. 


Se envolveu de coração 


Malia já criou uma série de coisas, mas há alguns meses ela tem se dedicado à produção de lenços para os amigos de quatro patas.


A garotinha passou muitas semanas trabalhando em dezenas de bandanas de todos os tipos e cores. Ela já produziu tantos que até perdeu a conta. “É difícil acompanhar. Temos um monte deles”, disse. 


“Malia se envolve em muitas coisas e quando se trata de cuidar e ajudar, ela realmente coloca seu coração nisso”, disse Martinez.


Ajudar de todas as maneiras possíveis


Malia chama a pequena empresa de “Costura Criativa por Malia” e criou páginas nas redes sociais para ajudar a divulgar a ideia.


O objetivo da menina é que o negócio prospere para que ela possa ajudar o maior número possível de animais de todas as maneiras possíveis. 


“Eles ficaram felizes e muito agradecidos, o que me fez sentir muito bem por dentro”, disse Martinez. “Fico feliz em ver como isso impactou as pessoas e os cães”.


Comments


bottom of page