top of page
Buscar

Morte de vítima de fake news é investigada; mãe será testemunha

Com G1

A Polícia Civil vai ouvir nesta terça-feira (26) o primeiro depoimento nas investigações que apuram as circunstâncias da morte de Jéssica Vitória Canedo, de 22 anos. A família confirmou o suicídio da estudante na sexta-feira (22).


Dias antes da morte, o nome da jovem foi envolvido em fake news. Prints falsos que simulavam uma conversa dela com o humorista Whindersson Nunes foram divulgados por perfis de fofoca em redes sociais. Ela passou a sofrer ataques na internet. Jessica chegou a publicar uma mensagem no Instagram pedindo a exclusão dos posts. O humorista também apontou que as mensagens eram falsas.

O delegado Felipe Oliveira, que comanda o inquérito sobre o caso em Araguari (MG), informou que a mãe de Jéssica, Inês Oliveira, será a primeira testemunha ouvida no processo. Depois, a Polícia Civil vai avaliar se outras pessoas também deverão prestar depoimento.


Ainda segundo Oliveira, em um primeiro momento, apenas as circunstâncias da morte da estudante são apuradas. Os perfis que divulgaram os prints nas redes sociais ainda não são investigados pela corporação.

"Caso seja configurado algum crime contra a honra pela divulgação de notícias falsas, isso pode ser objeto de outra investigação, mas dependeria de manifestação de vontade por parte da família da vítima, pois esses crimes são de ação penal privada", disse.

Nesse tipo de ação, a abertura de inquérito para investigação depende de pedido da vítima ou de algum familiar.


Whindersson se manifestou

No domingo (24), o influenciador Whindersson Nunes usou as redes sociais para lamentar a morte de Jéssica. No vídeo, o artista propõe ainda a criação da Lei Jéssica Vitória, para regulamentação de perfis nas redes sociais.


“Quero iniciar um movimento para ver se contribui para a gente criar uma lei chamada Jéssica Vitória, para aprimorar a legislação brasileira com esse ‘jornalismo não oficial’ que é muito perigoso. Tem gente que tem muito seguidor e diz que não é uma coisa oficial, mas é uma coisa que impacta de verdade milhares de pessoas", iniciou Whindersson.


“Que essa lei traga uma sanção civil ou criminal para essa pessoa que poste uma conversa, mesmo que pública, sem ir atrás da veracidade dos fatos. Quem vai ser responsabilizado é quem está no topo da pirâmide e ganha dinheiro com isso”, concluiu o influenciador.


No vídeo, Whindersson afirmou que irá se comprometer em acompanhar as investigações do caso. Emocionado, disse também se solidarizar com a dor da mãe de Jéssica e relembrou o dia em que perdeu o próprio filho.


Comments


bottom of page