top of page
Buscar

'Não' escrito na pele é sugerido pelo MS para evitar cirurgia na parte errada do corpo

Atualizado: 17 de ago. de 2023

Paciente do Ceará marcou um 'não' no joelho para reduzir risco de uma cirurgia do lado errado. - Com G1

Paciente escreve ‘não’ na perna antes de cirurgia para marcar qual joelho deveria ser operado em Fortaleza — Foto: Arquivo pessoal


O "não" riscado no joelho Anderson Arruda, paciente de 50 anos que passou por uma cirurgia, é um procedimento de segurança comum e até recomendado pelo Ministério da Saúde. A ideia é que os médicos saibam exatamente onde evitar um procedimento por engano em partes do corpo que aparecem em par (como braços e pernas) ou múltiplos (como os dedos).

O protocolo do Ministério da Saúde que recomenda escrever na pele o aviso de prevenção é de 2013 e traz também outras medidas para garantir uma cirurgia segura.

"Existem dois joelhos, então o próprio paciente faz a demarcação do joelho a ser operado. Existe um protocolo, um desenho de um alvo, mas eu já solicito que o paciente no internamento faça a própria demarcação, dividindo a responsabilidade. No caso ele colocou 'sim' para ser operado e 'não' para não ser operado." — médico ortopedista Hildemar Queiroz.

Orientação na enfermaria

Anderson explicou que precisou da cirurgia após romper o ligamento cruzado do joelho esquerdo em uma queda. Ele explicou que, inclusive, fez as sinalizações após recomendação da própria equipe de enfermagem.

“Colocar o 'sim' e o 'não', na verdade, é uma orientação das enfermeiras que trabalham com cirurgia de joelho ou outros membros que você tenha dois, para que na hora da cirurgia não haja nenhuma confusão, para que tivesse uma segurança maior”, explicou Anderson.

A equipe também passou a sugestão de desenhar um "alvo" no joelho a ser operado. “A enfermeira me mandou um texto também com recomendações pré-cirúrgicas, como dieta e como ia ser. Nesse texto, tinha a orientação de marcar a perna que ia ser operada”, comentou o geneticista. “Ainda assim, lá no hospital, eles me perguntaram várias vezes qual joelho eu ia operar. Até na sala de cirurgia, me perguntaram. Eles fazem várias checagens para não cometer nenhum erro”, reforçou.

Ele passou pela cirurgia no último sábado, e no dia seguinte, já foi liberado para ir para casa. “Já estou na fase de recuperação. Eles [médicos] indicam que a gente comece a fazer a fisioterapia logo. Eu não posso pisar no chão durante dez dias, tenho de andar de muleta”, disse.

Comments


bottom of page