top of page
Buscar

Número de mortos sobe; registro de desaparecidos cai para 104

Com O Globo

Foto: Divulgação / Maurício Tonetto / Governo do Rio Grande do Sul


Após estabilidade nos últimos boletins, número de mortos por enchentes no Rio Grande do Sul volta a subir na manhã desta quinta-feira (16), chegando a 151, de acordo com o último balanço divulgado pela Defesa Civil do estado. O registro de desaparecidos, por outro lado, recuou para 104 nesta manhã. As chuvas que assolam o estado há mais de duas semanas já afetaram mais de 2,2 milhões de gaúchos.


Desde o começo das enchentes colocarem o Rio Grande do Sul debaixo d'água, comprometeu atividades em 458 municípios, equivalente a 92% de todo o estado. Nessas localidades, a Defesa Civil registrou mai de 77 mil pessoas abrigadas e mais de 538 mil desalojados.


Na manhã desta quinta-feira, o Rio Grande do Sul registra 90 trechos com bloqueios totais, enquanto outros 50 são parciais, entre rodovias, pontes e balsas. As interdições ficam concentradas na região central do estado, próximo à região metropolitana de Porto Alegre. Os acessos em direção a São Leopoldo, Nova Hamburgo, Caxias do Sul, Lajeado e Santa Maria foram os mais comprometidos.


Aeroportos e portos

As atividades do Aeroporto Salgado Filho seguem interditadas por tempo indeterminado, segundo comunicado divulgado pela Fraport, concessionária que controla a unidade. A orientação é que passageiros entrem em contato com a sua companhia aérea para mais informações sobre os voos.


Entre os aeroportos estaduais que funcionam normalmente estão as unidades de Canela, Capão da Canoa, Carazinho, Erechim, Passo Fundo, Rio Grande, Santo Ângelo e Torres. Já as unidades coordenadas pela CCR que funcionam normalmente são Bagé, Pelotas e Uruguaiana, e os aeroportos municipais com funcionamento regular são os de Caxias do Sul e o de Santa Cruz do Sul, que hoje está fechado devido às condições meteorológicas.


No caso dos portos gaúchos, o Porto de Porto Alegre mantém as operações suspensas em razão da manutenção do nível do Rio Guaíba acima da cota de inundação. Já o Porto de Pelotas continua com a suspensão de embarque de toras de madeiras e registra paralisação de atividades no terminal, enquanto o Porto do Rio Grande opera normalmente.

Comments


bottom of page