top of page
Buscar

Neta realiza sonho de avó de voltar ao CE após ter fugido da seca há 66 anos

Com Só Notícia Boa

Foto: reprodução/ TikTok @tassilaweichert


Depois de 66 anos sem ir ao Ceará, essa avó ganha uma viagem de presente da neta e realiza o sonho de finalmente voltar à terrinha natal.


Aos 14 anos, dona Maria José teve que deixar a cidade com a família devido à fome e à seca, e foram rumo ao Pará. O trajeto, na época, foi uma jornada de dois dias feita toda por navio.


Ela, que saiu da cidade alojada no porão de uma embarcação, agora aos 80 anos, voltou em grande estilo: de avião! A neta Tássila Weichert não poderia estar mais satisfeita em ver tamanha alegria da vozinha.


Voltou a ser criança 


Quando desembarcaram no aeroporto de Fortaleza, foi como se dona Maria José voltasse a ser uma menina. Ao caminhar pelas ruas, sentir o cheiro do mar e provar os sabores da infância, ela se reconectava com as raízes. 


A vovó lembrava na memória que era natural do Ceará e sentia orgulho disso, mas foi a primeira vez que teve uma maior consciência das belezas do estado. 


Infância difícil 


Quando era adolescente, Maria José morava em uma fazenda em Uruburetama, interior cearense. A propriedade pertencia a um homem de muita influência na cidade. Acontece que ali, ela e a família viviam em condições análogas à escravidão.


O que deveria ser uma infância repleta de cores e sonhos transformou-se em lida, labuta e exaustão.


Nova vida 


A oportunidade de deixar tudo para trás surgiu por meio de uma política governamental que transportava pessoas de diferentes partes do país para a Amazônia. Em 1958, eles embarcaram e pararam em Castanhal, no Pará. 


Chegaram ao novo lar com um pouco de esperança e determinação para começar do zero e se adaptar à vida na região Norte. E assim seguiram! 


Paixão pelo Ceará 


A família construiu uma casa de barro e passou a viver da plantação.  Mesmo estabelecendo a vida por lá, nunca foi segredo que a paixão de dona Maria José sempre foi o chão onde passou os primeiros anos de vida.


Por conta da condição financeira, passou mais de 6 décadas sem conseguir voltar. Mas agora que visitou a terra tão amada, o sonho é outro: ir até o município onde nasceu.

Comments


bottom of page