top of page
Buscar

No MS, fazendeiro vende gado para investir em abelhas


Nos anos 2000, Adriano Adames decidiu vender todo o gado que tinha. Era uma decisão arriscada. A família de agropecuaristas o achou "meio doido" e ficou ainda mais surpresa com o motivo dele para a venda. "A partir de agora, decidi que vou trabalhar com abelhas", avisou Adriano.


O primeiro encontro com as abelhas teria sido em um mergulho, no qual encontrou um enxame secreto em uma gruta. "Me fascinou o esquema de trabalho delas", disse.


Adriano encontrou uma colmeia próxima de uma cachoeira na fazenda da qual é proprietário na cidade de Bodoquena, também em Mato Grosso do Sul. Ele notou que os turistas se interessavam em vê-las perguntavam se havia mel para comprar. Assim, decidiu deixar o gado para trás.


Além do mel, o dinheiro do gado foi investido na produção de caixas usadas para agrupar as abelhas, de embalagens com bisnaga, e de própolis — além da venda de colmeias já produtivas. Hoje, uma única caixa de colmeia custa de R$ 600 a R$ 700. "Dá um bom dinheiro", diz.


A confecção e venda de roupas de apicultura foi outra forma de ganhar dinheiro. O uniforme é feito com várias camadas de tecido, cobre da cabeça aos pés, tem um tela de proteção para os olhos e, claro, luvas acolchoadas para evitar picadas. Na internet, o uniforme pode chegar a até R$ 600.


Após comunicar a família sobre a venda do gado, Adriano viajou pela América do Sul com um portunhol respeitável para estudar e, também, para dar aulas sobre a importância das abelhas e como criá-las. No fim das contas, acredita ter feito um bom negócio. "Me encontrei como ser humano quando encontrei a abelha. Por elas, dei uma reviravolta da qual eu amo", diz. (Com UOL)


bottom of page