top of page
Buscar

Professora é demitida de escola após admitir ter beijado aluno

Denúncia à diretoria gerou revolta em estudantes, que agrediram um colega do 9º ano do ensino fundamental; adolescente precisou ser internado. Agressores acharam, erroneamente, que garoto havia denunciado professora. - Com G1

Uma professora de artes foi demitida após beijar um estudante de 14 anos de idade do 9º ano do ensino fundamental de uma escola municipal em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Segundo o g1 apurou, a professora contou sobre o beijo por mensagem de texto enviada a uma aluna. Na conversa, a docente afirmou que queria "transar com ele" .

A professora trabalhava na escola municipal Vereador Felipe Avelino Moraes. Ela contou à aluna que encontrou o estudante e um amigo na rua. Depois, eles foram ao mercado, e ele a levou para casa. "Eles me trouxeram para casa. Aí, aconteceu", conta ela nas mensagens. A docente foi denunciada à diretoria da escola pela mãe da aluna para quem enviou as mensagens. Após o caso ganhar repercussão, tanto a estudante que recebeu as mensagens da professora quanto o melhor amigo dela passaram a receber ameaças de colegas na unidade de ensino.

As ameaças viraram agressões. Três alunos bateram no adolescente, sendo um deles o que teria beijado a professora. O jovem que foi agredido chegou a ser hospitalizado. Em nota, a Prefeitura de Praia Grande, por meio da Secretaria de Educação (Seduc), informou que a professora foi demitida por má conduta e afirmou que a direção da escola reportou o caso ao conselho tutelar.

Segundo o advogado Ariel de Castro, especialista em direitos da infância e da juventude, é possível que se apure o crime de assédio sexual, caso fique claro que a professora tenha usado seu cargo e sua função para assediar o aluno. No entanto, ele não acredita que seja possível que se configure crime de estupro de vulnerável e nem de importunação sexual, devido ao fato de o aluno já ter completado 14 anos e ter, supostamente, consentido com o beijo.

Dores abdominais 3 dias após agressão

O adolescente foi jogado no chão e agredido com chutes e socos. O trio só parou de bater quando uma vizinha entrou no meio da confusão. O menino foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) com ferimentos na boca.

Três dias depois, o adolescente começou a sentir dores abdominais e foi levado pela mãe ao hospital. De acordo com Helena, foi constatado um hematoma interno causado pelas agressões. Desde sexta-feira (17), ele está internado sem previsão de alta.

bottom of page