top of page
Buscar

SBC destaca papel das políticas públicas no acesso igualitário ao tratamento do câncer


O XXII Congresso Brasileiro de Cancerologia, que ocorrerá nos dias 28 e 29 de julho de 2023 em Salvador, Bahia, colocará em destaque a necessidade de políticas públicas para assegurar um acesso igualitário aos cuidados oncológicos. O evento reunirá especialistas, profissionais da saúde e autoridades governamentais com o objetivo de promover a disseminação de informações atualizadas sobre o tratamento do câncer.


Promovido pela Sociedade Brasileira de Cancerologia (SBC), o evento espera receber cerca de 3 mil pessoas para discutir as melhores práticas que mobilizam profissionais da área oncológica. A partir de uma abordagem multidisciplinar, o encontro conta com institutos de pesquisas, universidades, médicos e gestores da saúde das principais organizações do país no Centro de Convenções de Salvador.


O presidente do CONCAN, Enaldo Melo - foto, ressalta a importância de um tratamento integrado para superar as dificuldades no cuidado oncológico e garantir um tratamento efetivo para os pacientes com acesso às tecnologias mais recentes. “É preciso que haja uma mobilização de esforços tanto coletivos quanto individuais para combater e prevenir o câncer no Brasil”, afirma. Ele ainda salienta o papel fundamental do governo na elaboração de regulamentações, protocolos e procedimentos que facilitem que os pacientes tenham os tratamentos necessários.


A luta contra o câncer continua a ser um dos maiores desafios globais em saúde pública, impactando milhões de pessoas a cada ano, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, não é diferente, pois muitos pacientes enfrentam obstáculos no acesso a tratamentos adequados de forma ágil e eficaz. Nem todos as pessoas diagnosticadas com câncer recebem o atendimento ideal, e a falta de agilidade no sistema tem sido identificada como uma das principais questões.


Enaldo considera que um financiamento adequado que abranja todas as áreas-chave do tratamento, como cirurgia, radioterapia, medicamentos e outras terapias, seja fundamental. Além disso, frisa a necessidade de uma gestão eficaz na disponibilidade dos serviços de saúde, com o intuito de diminuir as desigualdades sociais e demográficas que prejudicam a qualidade de vida e a obtenção de cuidados médicos em distintas regiões do país.

(Com AgênciaTime)

Comments


bottom of page