top of page
Buscar

Subsede da Apeoesp em Venceslau será coordenada pela professora Alessandra

Da Redação

A professora e vereadora Alessandra Colombo Pereira é a nova coordenadora da subsede da Apeopesp (sindicato dos professores) em Presidente Venceslau. Alessandra apoiou a chapa eleita para direção estadual da entidade, comandada pelo professor Fábio Santos, nas eleições do dia 26 de maio último.


O professor Fábio Santos substitui Maria Isabel Azevedo Noronha (Bebel) no comando da Apeoesp no Estado de São Paulo.

Na subsede de Presidente Venceslau, Alessandra substitui o professor Eri Lima, que comandou a coordenação local do sindicato por 29 anos.


Além da Alessandra, a nova executiva da Apeoesp é formada por Eri Lima, como 2º coordenador, Jacira Pereira, tesoureira, Alice Stein, secretária, e Ângela Maria, vogal.

Atualmente, a subsede em Venceslau reúne 1,2 mil professores, entre ativos e inativos, incluindo também os municípios de Presidente Epitácio, Caiuá, Piquerobi, Santo Anastácio, Ribeirão dos Índios e Marabá Paulista.


No Estado de São Paulo, a Apeoesp reúne 180 mil professores sindicalizados, sendo considerada a maior entidade representativa entre todos os segmentos.


Conforme Alessandra, o plano de trabalho em sua gestão seguirá com que vinha sendo realizado pelo professor Eri, agregando e filiando novos professores e tornando o sindicato mais forte do que já é.


“Nossa força é a nossa união”, diz professor Eri, ao ressaltar que as lutas ensejadas em defesa da categoria e da educação pública serão intensificadas, entre elas, a valorização salarial e profissional do magistério, incorporação do piso nacional no salário base, revogação do pagamento por subsídio, classificação por jornada e demais ataques contidos na Lei Complementar 1374/2022, que institui planos de carreira e remuneração para os professores de Ensino Fundamental e Médio, para os diretores escolares e para os supervisores educacionais da Secretaria da Educação.


Eri lembra que a categoria ficou nove anos sem qualquer reajuste salarial, somando uma perda de 41% em seus vencimentos. Com data retroativa do mês de março, no próximo mês os salários serão reajustados em 6%, índice considerado uma afronta pela categoria.


Alessandra reforça que a Apeoesp seguirá com sua luta por um educação pública de qualidade, sobretudo pela valorização profissional da categoria, assim como estará atenta ao novo Ensino Médio. “É preciso que o professor seja valorizado para que o aluno possa ser preparado e entrar no mercado de trabalho com qualidade”, ressalta.

Comments


bottom of page