top of page
Buscar

Texto de manuscrito de 2 mil anos é desvendado por Inteligência Artificial; vídeo

Papiros foram carbonizados e enterrados após a erupção do Monte Vesúvio, na Itália - Por O Globo

Um grupo de cientistas descobriu, graças à ajuda de uma ferramenta de Inteligência Artificial, as primeiras palavras de um dos Manuscritos de Herculano, que faz parte de uma série de papiros que foram carbonizados e enterrados após a erupção do Monte Vesúvio, na Itália, durante o ano 79 d.C.. Esta descoberta permitiria, segundo os especialistas, duplicar a biblioteca de textos antigos . Esta obra abriu um precedente na história contemporânea, pois durante 2.000 anos foram feitas tentativas de leitura do conteúdo daqueles pergaminhos, mas, devido à sua fragilidade, ninguém conseguiu obter uma palavra dali. Graças ao desenvolvimento de um programa com inteligência artificial, foram decifradas as primeiras linhas de um manuscrito único.

Os protagonistas deste evento são Luke Farritor, da Universidade de Nebraska, nos EUA, e Youssef Nader, da Universidade de Berlim, que, após a proposta promovida em março pelo professor da Universidade de Kentucky, Brent Seales, conhecida como Desafio do Vesúvio, a dupla de estudantes reconheceu de forma independente algumas das cartas do manuscrito. O professor publicou milhares de imagens em 3D de dois pergaminhos enrolados, além de um programa que foi treinado para ler as marcas de tinta impregnadas no papiro. O primeiro prêmio, de cerca de 40 mil dólares (R$ 200 mil), foi vencido por Farritor e, em segundo lugar, com uma descriptografia menor, Nader, que recebeu 10 mil dólares (R$ 50 mil). Embora o professor Seales tenha utilizado um acelerador de partículas para penetrar no interior do manuscrito e assim capturar o maior número de símbolos expressos, o risco de exposição constante ao ar e ao ambiente atual colocava em risco aqueles fragmentos arqueológicos, que se encontravam no subsolo, por 1700 anos.

O que diz o interior do manuscrito de Herculano? Como foi entendido graças à tecnologia implementada, no coração do pergaminho está escrito: πορφύραc , que em português significa “tintura roxa ou roupa roxa”. Ambas as relíquias pertencem a um grupo de centenas de outras semelhantes que também estão carbonizadas e que foram desenterradas em 1750. Para os arqueólogos, estes escritos eram de Lúcio Calpúrnio Piso Caesonino, sogro de Júlio César.

Em diálogo com o jornal britânico Daily Mail, Farritor, que é estagiário na empresa presidida por Elon Musk, a SpaceX, disse: “Estava caminhando à noite e verifiquei aleatoriamente os meus códigos mais recentes no meu telemóvel. (...) Não esperava nenhum resultado substancial, então, quando meia dúzia de letras apareceram na minha tela, fiquei completamente feliz”. Enquanto isso, Nader, estudante de robótica, afirmou: “foi emocionante ler um texto que não entendíamos, mas sabíamos que as pessoas o deixaram para nós há milhares de anos. Foi como olhar para o passado através de uma máquina do tempo”.

As letras impressas no papiro foram feitas com tinta de molusco, por isso se deve a sua cor roxa e a isso, talvez se acredite, é a que se refere a frase resolvida pelos jovens. É digno de nota que durante várias décadas, os pergaminhos foram meticulosamente tentados para serem abertos por monges, mas em sua maioria se desfizeram.

Quanto ao concurso proposto pelo professor da Universidade de Kentucky, no momento ninguém reivindicou o prêmio máximo de um milhão de dólares e o segundo, de 750 mil dólares, ambos para quem conseguir compreender quatro passagens do texto antes do final de 2023. “O que o desafio nos permitiu fazer foi recrutar mais de mil equipes de pesquisa para trabalhar em um problema no qual normalmente trabalhariam cerca de cinco pessoas”, disse Brent Seales.

Comments


bottom of page