top of page
Buscar

Uma vida em poemas

Atualizado: 20 de jun. de 2023




Sábado, dia 25 de junho, foi uma tarde festiva na sede da Academia Venceslauense de Letras, instalada há pouco em uma das salas da antiga Estação FEPASA, no Parque Histórico Municipal. Tivemos nesse dia o lançamento do livro “Poemas de uma vida” do poeta Aguilar Lopes.


Conforme seu poema “Autorretrato”, Aguilar é alguém de “estatura curta, mãos redondas (moldadas pelo cabo da enxada), olhar intenso e sorriso na face”. Um ser humano simpático e talentoso.


Formado em Letras pela FAFIPREVE – Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Presidente Venceslau. Atualmente mora na Bahia. Foi uma tarde de encontros e reencontros: ex alunos e amigos do Curso de Letras, alguns de cidades vizinhas, ex professores, amigos e acadêmicos desfrutaram momentos de encantamento com a leitura de alguns poemas e com a oportunidade de conhecer o nobre poeta.


Foram momentos de ternura, de valorização da amizade, de reconhecimento de talentos e competências, de confirmação de que a distância geográfica e a cronológica não alteram os sentimentos verdadeiros, pelo contrário, o distanciamento apura o que sentimos e o que valorizamos.


Foram feitas leituras de alguns poemas selecionados por pessoas igualmente selecionadas que emprestaram suas vozes e suas emoções para interpretar os temas poetizados por Aguilar: o amor, a liberdade, o cotidiano, a mulher amada, o medo, valores, a natureza, sentimentos contraditórios, a morte e exaltação da vida.


Há que se destacar um sentimento patriótico visceral em versos como ‘É imensa a miscigenação existente,/ Mil qualidades e diferenças de sua gente’ (Universo Brasil), ‘Gente que vive,/ Gente que é gente,/ Gente que morre’ (Tanta gente), ‘Brasil, da injustiça justa,/ Brasil, da impunidade,/ Brasil, da esperança curta,/ Brasil da crueldade’ (Brasil), ‘Por menosprezo na educação/ O mundo nos vigia,/ O povo é tema numa canção,/ Mas o poder negligencia’ (Educa Brasil).


E, conforme o Prefácio da acadêmica Dra Maria Antonia Soares ‘Alinhavando lembranças e sentimentos, seus versos, por vezes, melancólicos, trazem com sabedoria aspectos das nossas raízes e da cultura do nosso país…’. E vale destacar: ‘A leveza, a suavidade e a força temática sustentaram/sustentam a leitura do início ao fim’.


O fato de Aguilar ter sido aluno do Curso de Letras de nossa querida FAFIPREVE, ter sido meu aluno de Literatura Brasileira, revestiu esse momento de um significado especial. De alguma forma, ainda que humildemente, colaboramos para a formação literária do antes menino, aluno brilhante, hoje um profissional respeitado que mantém e cultiva dentro de si um espírito apaixonado pelas letras, uma alma bem formada em sentimentos e valores familiares (sua esposa, sua mãe e sua sogra estavam presentes no lançamento), um coração apaixonado pela vida, pela esposa, pelos amigos e pelo país. Enfim, um ser humano que olha a vida com olhos de servir, com pensamentos de amor, com ações de transformar.

Com um eu lírico impecável em primeira pessoa, Aguilar, em ‘Tarefas minhas’ diz:

“Quero trazer com a poesia o valor/ Buscar na palavra o amor,

Levar ao homem, a beleza da paz/ Mostrar ao planeta a pureza da vida,

Dizer ao homem… com esperança se faz.


Quero trazer de volta um caminho de vida/ Dizer não às drogas e à bebida.

Sentir no coração que o homem mudou/ Fazer dos desencontros, encontros

Quero fazer da mágoa coisa que acabou/ Fazer da bondade coisa que restou,

Procurar fazer feliz aqueles que ainda não são,


Fazer encontrar o alívio os que querem o perdão.


– Poesia é quando uma emoção encontra seu pensamento e o pensamento encontra palavras.- (Robert Lee Frost – poeta americano)


(*) Aldora Maia Veríssimo – Presidente da AVL

Comments


bottom of page