top of page
Buscar

Viveiros em unidades prisionais já produziram mais de 70 mil mudas

Com Assessoria


A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) destaca a atuação de unidades prisionais no desenvolvimento de projetos que estimulam a produção de mudas de árvores nativas e sua consequente colaboração com a preservação do meio ambiente.


A iniciativa oferece a oportunidade de conhecimento aos privados de liberdade que participam diretamente dos trabalhos de manutenção dos viveiros. Os reeducandos também são beneficiados com a remição de pena, ou seja, a cada três dias trabalhados, um dia de pena é reduzido.


Como exemplo disso, quatro penitenciárias subordinadas à Coordenadoria de Unidades Prisionais (Croeste) já somaram juntas, a produção de mais de 70 mil mudas de árvores nativas. O destino delas, vai desde o uso em outras unidades prisionais, quanto colaboração com prefeituras e outros órgãos públicos para o seu cultivo adequado.


Na Penitenciária I de Mirandópolis o viveiro já produziu mais de 11 mil mudas. Os trabalhos são realizados exclusivamente por sentenciados do regime semiaberto com o objetivo de capacitá-los a laborar e a aprender sobre o manejo dessas plantas para utilizar o treinamento recebido ao progredirem em sua ressocialização e remição de pena.


Na unidade de Marabá Paulista são produzidas cerca de mil mudas nativas por mês de diversas espécies. O viveiro foi implantado em 2006, por meio de parceria com o Instituto Brasileiro de Florestas (IBF), o que propiciou a capacitação tanto de servidores, quanto de sentenciados.


A Penitenciária “Zwinglio Ferreira de Presidente Venceslau, nos últimos cinco anos, já produziu milhares de mudas de árvores nativas, sendo que as atividades do viveiro foram iniciadas em 2010, com aquisição de insumos, bandejas e tubetes para o cultivo.


Atualmente, várias espécies de mudas nativas e frutíferas são produzidas, sendo fornecidas para prefeituras e produtores rurais. O manejo também é executado por reeducandos que estão no regime semiaberto da unidade.


Doação de mudas e Feira Verde

Na Penitenciária de Osvaldo Cruz, o viveiro funciona desde 2020 e, desde então, já foram produzidas aproximadamente 50 mil mudas, sendo que cerca de 28 mil foram doadas.


A colaboração com as prefeituras municipais de Osvaldo Cruz, Parapuã, Sagres e Tupã tem atividades como a cessão de terra, adubo, balaios, orientação técnica e demais insumos. A Penitenciária de Osvaldo Cruz contribui com a cessão de mão de obra dos sentenciados do regime semiaberto e área para cultivo.


Atualmente, o viveiro conta cerca de 40 espécies diferentes de mudas de árvores nativas, dentre elas Oiti, Flamboyant, Aroeira Pimenteira, Ipê, entre outras.


Em 2022, a unidade participou da Feira do Verde de Osvaldo Cruz, evento promovido pela Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente de Osvaldo Cruz. Foram expostas mudas cultivadas no viveiro e um banner exibiu as ações de cultivo. Em junho desse mesmo ano, a Penitenciária de Osvaldo Cruz iniciou uma ação em prol da Semana do Meio Ambiente da Prefeitura Municipal. Através da mão de obra dos reeducandos do semiaberto, foi realizado o plantio de cerca de 250 mudas de árvores nativas no entorno da unidade.


Em setembro do ano passado, ocorreu a doação de mudas de ipê amarelo ao Lar Esperança de Parapuã, instituição vinculada ao Departamento Municipal de Saúde de Parapuã. Foram plantadas mudas na sede da instituição, nas escolas públicas e no bosque do Rotary Club local. No início deste ano, foram doadas mudas ao Departamento de Agricultura e Meio Ambiente de Parapuã para plantio no aterro sanitário, além de cessão a produtores rurais de Osvaldo Cruz.

Comments


bottom of page