top of page
Buscar

Volta a chover hoje no RS, e nova onda de calor retorna ao Sudeste

Com G1

Foto: Carlos Macedo/AP


Depois da passagem de uma frente fria, que enfraqueceu o bloqueio atmosférico que atua sobre o Brasil desde 22 abril, a chuva deve retornar ao Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (16).


A atuação da massa de ar polar permitiu que os últimos dias tivessem predomínio de sol e que a chuva desse uma trégua na região. Mas, com o deslocamento da frente fria para o oceano, o estado volta a ter condições de tempo mais instável.


🌧️ Segundo a Climatempo, outros dois fatores devem contribuir para as chuvas na região:


  • Influência de um fluxo de umidade vindo da Amazônia

  • Condições instáveis da atmosfera


Com isso, o dia deve ter céu nublado em todo o estado e chuva principalmente no centro-norte do Rio Grande do Sul.


Segundo o meteorologista, Vinicius Lucyrio, entre quinta e sexta (17), os volumes médios registrados devem ficar entre 60 e 100 milímetros no norte do estado. A chuva mais forte deve atingir inclusive a Serra Gaúcha, deixando toda a região em alerta.


Na sexta, uma nova frente fria deve contribuir para a condição de tempo instável no Rio Grande do Sul. A chuva deve aumentar no fim da semana no norte, inclusive nas cabeceiras de rios importantes que fazem parte das bacias do Taquari, Alto Jacuí e Uruguai.


Riscos de inundações

Com o solo já enchardo por conta dos grandes volumes de chuva registrados nos últimos dias, a volta dos temporais é um alerta para a piora das inundações.


Lucyrio explica que, em condições normais, os acumulados esperados não seriam o suficiente para provocar grandes transtornos. Mas, com a situação já frágil do solo e com os níveis das bacias muito elevados, qualquer nova chuva pode representar um problema.,


Volta das altas temperaturas

Além do retorno das chuvas para o Sul do Brasil, com o afastamento da frente fria, as temperaturas devem voltar a subir no Sudeste e em parte do Centro-Oeste do país.


🌡️ Como a massa de ar polar do início da semana não foi forte o suficiente para romper o bloqueio atmosférico que atua sobre o país, a alta pressão acabou apenas se deslocando para a faixa norte da região Sudeste.


Com isso, os termômetros devem registrar novamente marcas acima da média para o período. Essa nova onda de calor deve atingir de forma mais intensa o centro-norte paulista, centro-sul de Minas Gerais, Triângulo Mineiro e extremo leste do Mato Grosso do Sul.


Commentaires


bottom of page